FETAGRO coordena encontro

Dirigentes sindicais em Rondônia discutem políticas de acesso à terra e permanência no Campo


Encontro reúne representantes de 21 municípios

A Política Nacional de Crédito Fundiário e a regularização de terra no estado de Rondônia, dominaram a pauta da Oficina Estadual de Formação e capacitação para acesso à terra  e Políticas de Permanência no Campo. O encontro acontece no município de Ouro Preto do Oeste-RO, nos dias 23  e 24 de abril,   com realização da CONTAG e FETAGRO, com apoio do SENAR.

FETAGRO coordena encontro
A Oficina coloca à mesa os representantes da UTE-RO (Unidade Técnica de Extensão Rural), representantes de Cartórios e os dirigentes sindicais, para busca de caminhos para soluções dos graves problemas agrários no estado de Rondônia. “Aqui não estamos realizando uma simples oficina, aqui é uma discussão de alto nível, com buscas imediatas de soluções e  construções de caminhos de luta para regularizar milhares de famílias de agricultores familiares em Rondônia”, afirmou o secretário de política agrária da CONTAG – Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familares – Elias Borges.
Alessandra Lunas , presidenta da FETAGRO fala com dirigentes

Alessandra Lunas , presidenta da FETAGRO fala com dirigentes

Alessandra Lunas, presidenta da FETAGRO e Márcio Viana, secretário de política agrária, sintonizaram nas discussões, e desejam caminhos para continuidade do Programa Nacional de Crédito Fundiário – PNCF – que é uma das pautas centrais da oficina no norte do país.
No segundo dia do encontro, os dirigentes discutiram com o Superintendente do INCRA Rondônia, Erasmo Tenório da Silva , as políticas de obtenção de áreas no estado. No debate também se buscou a imediata implantação das políticas de desenvolvimento dos assentamento rurais em Rondônia.

CONTATO – Elias Borges – CONTAG – 61 98143-0019
Mostra_FCJA (3)

Exposição indígena “Primeiros brasileiros” segue até domingo 

 

A exposição indígena “Primeiros brasileiros”, montada no hall da Fundação Casa de José Américo, em João Pessoa (Av.Cabo Branco), prossegue aberta para visitação até o próximo domingo (21), exceto na quinta-feira, das 8h30 às 16h. A mostra fotográfica consta de 36 painéis que constitui uma síntese, exibida em diversas capitais do Brasil. A entrada é gratuita.

Mostra_FCJA (3)

A mostra integrou o evento Paraíba Indígena, que aconteceu no último fim de semana. A programação constou de exposição histórico-antropológica sobre a presença indígena no Nordeste com destaque para a importância dos povos indígenas na Paraíba, cine debate, mostra fotográfica, feirinha de artesanato e gastronomia indígena, oficina de pintura corporal indígena e apresentações rituais.

O evento foi realizado pela Universidade Federal da Paraíba, com o apoio da Fundação Casa José Américo.

Mostra_FCJA (2) Mostra_FCJA (1)

feira_emater

Feira do Produtor da Empaer é antecipada para quinta-feira na Paraíba

feira_emater

Em virtude das celebrações religiosas da Semana Santa, a gerência estadual das feiras da Empaer decidiu antecipar para a quinta-feira (18), no mesmo horário da manhã, a Feira do Produtor que tradicionalmente ocorre na sexta-feira no pátio da empresa, na estrada de Cabedelo, na BR-230.

A decisão foi anunciada pelo gerente das Feiras da Agricultura Familiar da Emater, Severino Henriques de Lima, em atendimento aos agricultores familiares que ali comercializam seus produtos.

Os agricultores familiares participantes da Feira do Produtor da Empaer, ex-Emater, empresa vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), são integrantes da Associação do Agronegócio da Região de João Pessoa (Agroa), e comercializam, em média, 40 toneladas mensais de produtos agrícolas vindos diretamente do campo em mais 90 barracas padronizadas.

A Feira do Produtor garante mercado para os produtos de famílias agricultoras em diversos municípios assistidos pela Empaer dos territórios de cidadania da Zona da Mata Sul e da Zona da Mata Norte. É feita a comercialização de produtos vindos direto do campo para o consumidor, permitindo o incentivo e a integração do agricultor na cadeia produtiva, gerando oportunidade de trabalho, renda e melhoria da qualidade de vida das famílias rurais paraibanas.

São mais de mil consumidores que adquirem produtos de boa qualidade, com preço abaixo do mercado, já que não há interferência de atravessadores.

FONTE – SECOM PB

EDITAL VESTIBULAR UEG_page-0001

Estadual de Goiás abre inscrições para o Vestibular

 

Candidatos têm até o dia 25/04 para realizar a inscrição

 

O Núcleo de Seleção (NS) da Universidade Estadual de Goiás (UEG) informa que estão abertas as inscrições para o Vestibular 2019/2.

EDITAL VESTIBULAR UEG_page-0001

As inscrições vão até o dia 25/04, no site www.estudeconosco.ueg.br

Nos links “Câmpus/Cursos”, disponíveis no site da UEG, está a descrição de cada Câmpus da UEG, com respectivos cursos de graduação oferecidos e informações sobre cada um deles. Para saber quais os cursos oferecidos neste Processo Seletivo, confira o Edital.

São 780 vagas disponíveis para este Processo Seletivo. O destaque vai para o curso de Direito, presente em 6 câmpus (Aparecida de Goiânia, Iporá, Morrinhos, Palmeiras de Goiás, Pires do Rio e Uruaçu) e Psicologia, no câmpus Inhumas.

Para realizar a inscrição, o candidato deve:

– Ler o edital de abertura;
– Fazer o cadastro geral por meio do seu CPF, caso não o tenha feito ainda, e guardar a senha gerada;
– O candidato que perder sua senha pessoal poderá recuperá-la no sítio www.estudeconosco.ueg.br, informando os dados pessoais solicitados;
– Preencher seu formulário de inscrição até às 23h59min do último dia previsto no cronograma do Edital;
– Gerar e imprimir o documento de arrecadação estadual (DARE);
– Efetuar o pagamento da taxa de inscrição, por meio do DARE, nos horários de expediente das datas previstas no cronograma do edital, em qualquer agência, em terminal de autoatendimento ou no serviço de internet dos bancos integrantes da rede de arrecadação do Estado de Goiás indicados no DARE, ou em seus correspondentes bancários;
– Imprimir o comprovante de inscrição no sítio www.estudeconosco.ueg.br, a partir de 2 dias úteis depois da data de efetivação do pagamento da taxa de inscrição.

As provas objetiva e de redação serão realizadas no dia 26/05.

Ruas alagadas na capital da Paraíba

Chuva na PB atinge 20% de todo volume para abril

A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) registrou 41,8 milímetros de chuva em João Pessoa-PB entre 7h e 8h da manhã desta segunda-feira (1). O número equivale a 20% da média histórica durante o mês de abril. Neste mesmo horário, a força dos ventos também chamou a atenção dos meteorologistas do Governo do Estado: 36 km/h. Várias  ruas da capital ficaram alagadas e o trânsito confuso.

Ruas alagadas na capital da Paraíba

Ruas alagadas na capital da Paraíba

 

De acordo com o setor de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, a previsão é de que o tempo permaneça instável na capital e nas cidades localizadas no litoral paraibano. “Temos uma condição de instabilidade climática sobre quase todo estado da Paraíba. Esta situação, associada à atuação de um fenômeno chamado de Zona de Convergência Intertropical, mantém o tempo favorável à ocorrência de chuvas localizadas”, alertou a meteorologista Marle Bandeira.

Também foram registradas fortes chuvas do sábado para o domingo, com destaque para Santa Terezinha (132,1 mm), Cacimbas (127 mm), Monteiro (101,2 mm), Mãe d’Água (97 mm), Ouro Velho (91,3 mm), Coremas (88,2 mm), Brejo do Cruz (80,6 mm), Areia de Baraúnas (80,4) e Emas (64,1 mm).

As chuvas do final de semana aumentaram o nível da água em vários açudes. Na cidade de Piancó, o reservatório de Coremas ganhou quase 17 milhões de metros cúbicos e atualmente está com 12,61% da capacidade. Em Boqueirão, o açude Epitácio Pessoa recebeu 5 milhões de metros cúbicos, aumentando o volume para 24,24%. Em Sousa, após o aporte de 3,6 milhões de metros cúbicos, o São Gonçalo está com 44,79%.

Dos 129 açudes monitorados pela Aesa, 28 estão com menos de 5% do volume total. Outros 43 têm menos de 20% e 56 reservatórios possuem capacidade superior a 20%. Apenas dois estão sangrando: São José II, em Monteiro e Emas, na cidade de mesmo nome.

FOTO JOSÉ ALBERTINO

FOTO JOSÉ ALBERTINO

AÇUDE DE COREMAS – O Açude Coremas–Mãe d’Água, oficialmente denominado Açude Estevam Marinho, é uma barragem localizada na microrregião de Piancó, Na cidade

capa_que resta da ditadura.indd

LIVRO – O que resta da ditadura – a exceção brasileira

capa_que resta da ditadura.indd

Bem lembrada na frase que serve de epígrafe ao livro, a importância do passado no processo histórico que determinará o porvir de uma nação é justamente o que torna fundamental esta obra. Organizada por Edson Teles e Vladimir Safatle, O que resta da ditadura reúne uma série de ensaios que esquadrinham o legado deixado pelo regime militar na estrutura jurídica, nas práticas políticas, na literatura, na violência institucionalizada e em outras esferas da vida social brasileira.

Fruto de um seminário realizado na Universidade de São Paulo (USP), em 2008, o livro reúne textos de escritores e intelectuais como Maria Rita Kehl, Jaime Ginzburg, Paulo Arantes, Ricardo Lísias e Jeanne Marie Gagnebin, que buscam analisar o que permanece de mais perverso da ditadura no país hoje. Assim, o livro possui também um caráter de resistência à lógica de negação difundida por aqueles que buscam hoje ocultar o passado recente, seja ao abrandar, amenizar ou simplesmente esquecer este período da história brasileira.

Segundo Edson Teles e Vladimir Safatle, a palavra que melhor descreve esta herança indesejada é “violência” – medida não pela contagem de mortos deixados para trás, mas por meio das marcas encravadas no presente. Para os organizadores, “neste sentido, podemos dizer com toda a segurança: a ditadura brasileira foi a mais violenta que o ciclo negro latino-americano conheceu. Quando estudos demonstram que, ao contrário do que aconteceu em outros países da América Latina, as práticas de tortura em prisões brasileiras aumentaram em relação aos casos de tortura na ditadura militar; quando vemos o Brasil como o único país sul-americano onde torturadores nunca foram julgados, onde não houve justiça de transição, onde o Exército não fez um mea culpa de seus pendores golpistas; quando ouvimos sistematicamente oficiais na ativa e na reserva fazerem elogios inacreditáveis à ditadura militar; quando lembramos que 25 anos depois do fim da ditadura convivemos com o ocultamento de cadáveres daqueles que morreram nas mãos das Forças Armadas; então começamos a ver, de maneira um pouco mais clara, o que significa exatamente ‘violência’.”

 

https://www.boitempoeditorial.com.br/

01.04.19 - Prisões_Pitimbu

Polícia frustra assalto na orla de Pitimbu e liberta família que foi feita de refém

 

A Polícia Militar  da Paraíba prendeu dois suspeitos de assaltar uma casa, no fim da noite desse domingo (31), na orla de Pitimbu- PB, onde chegaram a fazer o proprietário da residência e os familiares de reféns, por mais de duas horas. O plano dos acusados foi frustrado por um cerco montado pela PM, que concluiu a ocorrência já na madrugada desta segunda-feira (1º), libertando todas as vítimas e prendendo os autores do crime em flagrante, com três armas de fogo.

01.04.19 - Prisões_Pitimbu

De acordo com o comandante da 1ª Companhia Independente, capitão Francisco de Assis, os suspeitos chegaram à orla de Pitimbu por volta das 23h, em um carro que tinha sido roubado na cidade de Santa Rita-PB (região metropolitana da capital) , há 15 dias. Eles ficaram esperando o dono da casa fechar o bar, que ele era proprietário, e quando a vítima estava entrando em casa, os homens anunciaram o assalto.

“Pessoas que passaram na hora perceberam que se tratava de um roubo, acionaram a Polícia Militar, que de pronto foi até o local, conseguindo frustrar o roubo. Eles foram surpreendidos pela guarnição quando estavam saindo da residência, com celulares, relógios, eletrodomésticos e se preparando para levar também o carro que estava na garagem. Houve uma troca de tiros e eles entraram de volta, passando a fazer o proprietário e cinco familiares dele reféns”, detalhou.

A Polícia Militar reforçou o cerco realizado pela 1ª Companhia Independente, com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), e passou a negociar a liberação das vítimas e rendição dos acusados. Por volta das 2h, os reféns começaram a ser liberados e, sem ter saída, os suspeitos tentaram fugir pulando os muros das casas vizinhas, mas foram presos no quintal da residência vizinha.

Os suspeitos eram foragidos da Justiça. Eles foram identificados como Adriano Nascimento dos Santos, de 30 anos, que deveria cumprir pena em regime semiaberto pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma; e Francisco Silva dos Santos, de 25 anos, que tem condenação por roubo.

Os dois foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil, em Alhandra-PB

FONTE – SECOM PB

 

Criação: Guilherme Noleto - Goiás

Paraíba lembra ditadura e resgata  memória das vítimas

 

Lei de Adriano Galdino (PSB) institui dia em memória às pessoas torturadas

 

Neste dia 31 de março, data que marcou o início do Regime Militar no Brasil, no ano de 1964, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), lembrou Lei de sua autoria, que instituiu o Dia Estadual em Memória às Vítimas de Graves Violações de Direitos Humanos ocorridos na Paraíba durante o Regime Militar.

ADRIANO GALDINO

A Lei Nº 10.677, de 27 de Abril de 2016, definiu justamente o dia 31 de março para lembrar a memória das vítimas da Ditadura na Paraíba.

Para Adriano Galdino, a Lei é uma forma de garantir a não repetição de violações aos direitos humanos, bem como constituir um reconhecimento público da Paraíba em respeito às vítimas e seus familiares das violações ocorridas durante a ditadura militar.

“O propósito desta Lei foi para que a gente possa cada vez mais rememorar um período de obscurantismo da história política do Brasil. Eu vivi um pouco daquele período, era um tempo difícil, de muita censura, desconfiança, uma época que a sociedade, principalmente os mais jovens precisam tomar conhecimento para que fatos daquela natureza não voltem a ocorrer nos dias de hoje”, afirmou o deputado.

Criação: Guilherme Noleto - Goiás

Criação: Guilherme Noleto – Goiás

#/DitaduraNuncaMais

3DECD44F-C6FB-4306-B5A1-D0F2FCFC221C

Dirigentes sindicais da Bahia fortalecem a luta pela previdência social

Dirigentes sindicais de 20 municípios do Polo Sindical da Região de Jequié-BA, tornaram a Roda de Conversa sobre  Comunicação, ocorrida no dia 10 de março, em uma pauta de construção de Luta pela Previdência Pública e de fortalecimento dos sindicatos. O encontro na cidade de Jaguaquara-BA, definiu uma pauta de trabalho, com participação dos secretários da FETAG-BA Wellinton dos Reis Santos e  Luciana Santos de Oliveira.
3DECD44F-C6FB-4306-B5A1-D0F2FCFC221C
 “ A PEC (06/2019) da Reforma da Previdência, mostra a maldade do governo federal contra a classe trabalhadora, pois  apresenta um conjunto de alterações nas regras da Previdência que inviabiliza o acesso dos trabalhadores e trabalhadoras rurais à proteção previdenciária”, disse Marco Antonio durante a Roda de Conversa, o que motivou os sindicalistas para definição de uma estratégia  de luta e mobilização.
B9A9152B-9324-4D34-9015-0FB95B5D0607
Os dirigentes da FETAG-BA, vão encaminhar as propostas da realização da Semana de Luta pela Previdência Pública e a Seguridade Social e a campanha de sindicalização, para a diretoria da entidade. “Nós ficamos animados com essa iniciativa do Polo de Jequié, e estaremos juntos na luta”, afirmou Luciana Santos, diretora de política social da FETAG.
O jornalista Luiz Henrique Parahyba, que foi facilitador da Roda de Conversa, garantiu aos dirigentes que em até 30 dias irá apresentar uma proposta final de “Campanha de Sindicalização” para as entidades do polo sindical de Jequié. “Vamos aproveitar a mobilização da luta pela previdência e vamos mostrar as trabalhadoras e trabalhadores rurais e importância de ser sindicalizado e lutar de forma coletiva”, afirmou Luiz Parahyba.
O encontro também teve a participação de entidades urbanas e do presidente da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil – Celso Argolo, que assegurou reforçar a mobilização da semana de luta pela Previdência Pública e Seguridade Social.
WhatsApp Image 2019-01-28 at 12.01.03

SINDICALISTAS ELABORAM POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO PARA AVANÇAR NA ORGANIZAÇÃO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS

 

Roda de conversa acontece em Jaguaquara e reúne 23 Sindicatos de Trabalhadores Rurais

O Polo Sindical da Região de Jequié, reúne neste sábado (09) 23 dirigentes dos Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais para uma Roda de Conversa sobre “Comunicação e Sustentabilidade do Movimento Sindical na Bahia”, o encontro começa às 8h30, e  será coordenado pelo jornalista Luiz Henrique Parahyba. O evento será realizado na Sede da Cooperativa de Jaguaquara-BA.  “Vamos motivar os dirigentes para melhorar o diálogo com os trabalhadores e trabalhadoras, e a comunicação é um bom caminho para resistência”, disse o Luiz Parahyba.

Dois dirigentes da FETAG-BA – Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado da Bahia, representante da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil e dirigentes do Sindicato dos Bancários da Bahia, vão participar da Roda de Conversa em Jaguaquara. Na pauta os sindicalistas vão discutir o Plano Nacional de Outorga das Rádios Comunitárias e elaboração de uma campanha de sindicalização, para resistir a retirada de direitos que ameaça a classe trabalhadora.

A Roda de Conversa é realizada pelo Polo Sindical Região Jequié, FETAG-BA e parceiros locais. O Advogado dos trabalhadores Rurais, Marco Antonio Almeida, apoiador do evento, disse: “Nesse momento de retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, é importante que a comunicação esteja a serviço da classe trabalhadora, por isso apostamos na formação e organização dos rurais”, disse o advogado Marco Antonio.

WhatsApp Image 2019-01-28 at 12.01.03

SERVIÇO:

Roda de Conversa –

09 de março – 8h30

Local – Sede da Cooperativa de Jaguaquara-BA

Contato – 73 99840-6090 – Marco Antonio

 

1 2 3 24