Os desmandos no nordeste goiano sob os olhares do MP

Abusos, corrupções e desrespeito a lei, são marcas da administração pública na região mais pobre do estado de Goiás. Conheça o PROMOTOR que prendeu o Prefeito de Iaciara-GO.

 

A questão ambiental, em desarmonia com as  condições de vida das comunidades do nordeste goiano, tem  um resultado explosivo, onde gestores e agentes públicos, sentem-se no “direito” de agredir a fauna, flora e o homem. Os 20 municípios da região ainda convivem com baixos índices de IDH (índice de desenvolvimento humano) e o poder público estadual tem dificuldade de chegar com ações de desenvolvimento sustentável para uma mudança social e econômica para a região.

Muitos prefeitos e agentes públicos do nordeste goiano, desenvolvem ações de agressão ao meio ambiente com desmatamento irregulares, extração de areia e fabricação de carvão vegetal ilegal. Recentemente o promotor de Justiça de São Domingos de Goiás, Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, sofreu um atentado, por combater fortemente os crimes ambientais na região.

Outro episódio foi a prisão do prefeito de Iaciara-GO, sob o comando do mesmo promotor. Veja o vídeo (link abaixo), mostrando o abuso do gestor público e o desrespeito. Foi preciso o promotor de Justiça agir com rigor mesmo sob a fragilidade da Polícia Militar local, que muitas vezes é subordinada ao prefeito.

O deputado estadual Iso Moreira, é também personagem de uma controvertida estória de envolvimento com dinheiro irregular de campanha. Ele, o deputado, é considerado um “coronel” dos políticos locais, e que estaria comandando também uma ação de “desenvolvimento local” sem respeito ao meio ambiente e a ordem pública vigente.

Na recente lista suja divulgada pelo TCU (Tribunal de Contas da União) é possível encontrar vários administradores da região nordeste de Goiás, dentre eles os ex-prefeitos de Alvorada do Norte, Mambaí, Flores e outros. O coronelismo ainda tenta predominar, apesar de insustentabilidade, mas  ainda resiste o regime de força e dominação de poucas famílias. O mais grave é o envolvimento dos “coronéis” e suas famílias com os crimes ambientais e contra a pessoa!

Um episódio grave também na região, deflagrou a operação “Sexto Mandamento”, depois da morte de Igino Carlos Pereira de Jesus, 24 anos. Ele e mais três amigos foram assassinados. Igino é arrancado de dentro de casa, segundo informações, por oito homens que ocupavam 2 carros (celta). O corpo de Igino foi encontrado no mesmo dia, com mais de 30 perfurações de balas.

Tudo isso acontece sob os olhares do poucos Promotores de Justiça que atendem à região.

Conheça a região

O Nordeste Goiano possui área de 38.726,364 km², representando 11.39% da área total do Estado. Como região de planejamento compreende a microrregião Chapada dos Veadeiros e microrregião Vão do Paranã. Abrange 20 municípios e faz divisa com os Estados de Tocantins, Bahia, Minas Gerais e o Distrito Federal.

A região faz parte do Semi-árido brasileiro, com vegetação predominante de cerrado, constituído por cerrado propriamente dito, cerradão, campos, mata ciliar e veredas. O cerrado, que possui grande diversidade biológica, é tido como omais antigo dos ecossistemas brasileiros.

VÍDEO DO PROMOTOR QUE PRENDEU O PREFEITO

Veja o vídeo do PROMOTOR que prendeu o Prefeito de Iaciara. Dr.Douglas Magalhães, sofreu um atentado e o MP investiga o caso.

http://www.youtube.com/watch?v=IGMi6F3aNao

 

 

 

 

A minha cidade vive!



Os seis meses que compreendem as convenções eleitorais e o final do mandato dos prefeitos tornam-se um período de provação para as comunidades, principalmente de cidades com menos de 10 mil habitantes. Já as cidades grandes, sofrem, proporcionalmente, a irracionalidade política dos dirigentes que paralisam obras.

Os efeitos devastadores de obras paradas são mensurados pelos órgãos de controle e fiscalização (TCM, CGU, Controladoria e outros), mas somente aparecem quando os responsáveis já estão fora do poder ou, às vezes, ganham imunidade parlamentar. E enquanto os fiscais fazem relatórios, as obras e serviços estão fora do ar, o povo sofre e as cidades perdem receita, ficam sujas, desorganizadas e muita gente sem exame médico, ambulância, material escolar, merenda, vacinas e até caixão de defunto.

Quando vejo a velocidade das obras na capital do estado e o olhar desolado dos fracassados, lembro-me que isso poderia ser todo dia, durante todo mandato de todos os mandatários, prefeitos, governadores e presidentes. Mas nem sempre é assim. Em Goiânia, há grandes sinais que o azeite colocado na máquina pública, continue funcionando bem a estrutura pública. Já em municípios bem próximos à Capital, é visível o desleixo com o dinheiro do povo. Veja o caso de Trindade, onde o Prefeito é praticamente obrigado pelo poder eclesiástico para terminar uma calçada e outras vias para a Festa do Divino Pai Eterno. Isso mostra a total falta de planejamento e controle da administração.

Quem não consegue terminar uma calçada, num município que receberá mais de 2 milhões de visitantes num período de 10 dias, não tem controle com a coisa pública, não há condições de gestão. Mas, e lembrando que temos ainda seis meses de administração, basta o candidato apoiado pelo gestor ou sua própria candidatura fracassar, que tá tudo arrasado, abandonado e sem controle.

Nem quero lembrar que muitos prefeitos não terminam as obras, pois, como não podem fazer festa de inauguração, com distribuição de comida e bebidas, preferem deixar a praça, o posto de saúde, as calçadas, a pavimentação ou a área de lazer para inaugurar no próximo mandato ou não concluir para prejudicar o sucessor.

O PODER É LOCAL, a cidade é nossa, nós escolhemos nossos gestores, por isso nossas cidades devem ser VIVAS, ativas e sob nossa fiscalização intensa. Não deixem paralisar as obras e serviços da sua cidade. Pois A CIDADE VIVE!

CARTILHA DA CGU

Um guia para o trânsito e um caminho para a MORTE!

ATENÇÃO, COM CENAS FORTES! 

Os motoristas goianienses  parece que perderam a noção do respeito e cordialidade no trânsito da capital. É necessário uma reciclagem geral para reaprendermos as regras de direção defensiva e respeito no trânsito.

A antiga modalidade de ultrapassagem em sinaleiro vermelho, chega ao extremo,  o que antes era lenda urbana, agora virou acidente de trânsito grave e gravíssimo. Muita gente se acha no direito de ultrapassar no vermelho, por medo de assalto e outros incidentes, e para isso desrespeitam as leis de trânsito e mobilidade urbana.

Não entendo portanto, o que acontece com um motorista antes da meia noite, na divisa do setor sul com o setor central de Goiânia, se achar no direito de ultrapassar o semáforo com luz vermelha, e não entendo como um motoqueiro, que circula numa via perigosa, acha-se na plena confiança que a via preferencial é sua, e portanto , pode circular tranquilamente. O resultado é um grave acidente, como esse que presenciei na noite desta terça-feira, 19,  na capital goiana, e fiquei chocado com a violência e imprudência dos condutores.

Não adianta pressa no trânsito, durante o dia, noite ou madrugada, o importante é nossa vida, o respeito ao próximo que também circula nas vias, seja cadeirante, ciclista, pedestre, motociclista ou outro motorista de veículo comum ou do transporte coletivo. O que importa é respeitar sua via e ser cordial com o outro nas vias. Quem sabe o CORREDOR UNIVERSITÁRIO poderá nos reensinar as normas de boa convivência e mobilidade urbana.

VIVA A VIDA NO TRÂNSITO.

 

 

Os especuladores estão acabando a Mata Atlântica em GO

Os especuladores estão acabando a Mata Atlântica em GO

No mês de março de 2012, estive no Parque Estadual da Mata Atlântica, no município de Água Limpa-GO, no sul do estado. É evidente a ação dos especuladores imobiliários e grileiros de terras naquela região. É fácil perceber as placas de loteamentos e a exploração de áreas próximas ao Parque Estadual. Assim chegamos a  conclusão que a área de preservação está ameaçada.

Desmatamento da MATA ATLÂNTICA em propriedades c/ divisa do Parque Estadual.

Mas agora o IBGE diz que a situação da Mata Atlântica é grave,  e que no Brasil o bioma perdeu 88% de suas florestas até o ano de 2010, e o estado de Goiás apresenta a maior perda, com desmatamento de 95% da Mata Atlântica.

Os desmatadores tem nome e endereço, todos na região sabem e/ou informam quem são os responsáveis pelo desaparecimento da floresta. Nem mesmo o Parque Estadual se protege da ação criminosa dos gananciosos “proprietários” da região. Os agricultores familiares do município de Água Limpa, informam que um ex-prefeito de Caldas Novas-GO, é grande proprietário de terra na região e promove desmatamento em área de divisa do Parque Estadual, o que é proibido por Lei.

Na visita ao Parque da Mata Atlântica é possível confirmar os crimes de desmatamento, mas ninguém faz nada. O Caso já foi encaminhado a Polícia, órgãos ambientais e ao MP, mas o crime continua e o resultado é Goiás no ranking comoo  maior devastador da Mata Atlântica.

Para salvar a MATA ATLÂNTICA em Goiás e no Brasil, não precisa do representante da  ONU Ban Ki-moon,  o presidente americano Barack Obama, a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro ministro britânico David Cameron, precisa somente de investigar o ex-prefeito de Caldas Novas e outros criminosos acoitados pelo “jogo do bicho” e  outros cabras safados…

Originalmente, a Mata Atlântica, que se estende por 16 estados, tinha área superior a 1 milhão de quilômetros quadrados. As vegetações costeiras (restingas e manguezais) da Mata Atlântica foram bastante afetadas. Segundo o IBGE, suas áreas somadas correspondem, atualmente, a apenas 0,6% da área total original.

 

RIO + 20  de  C é R!

Dilma prefeita, a Vila era Mutirão e Paulo por cima da “carne seca”

Tudo era  festa e brilho nos olhos dos moradores da Vila Redenção, na região sul de Goiânia, para a entrega do primeiro hospital da cidade especializado em atendimento total à saúde da Mulher. Um orgulho para os goianienses…

Júlia Pereira, 72 anos, foi uma das primeiras a chegar para a inauguração da unidade; em baixo de uma sibipiruna na Alameda Emílio Póvoa, no mesmo setor do Hospital, ela lembrava o nascimento da neta Luciana Marco Montalvão, que completou 33 anos, e utilizou os leitos da antiga maternidade Dona Iris.

Tudo era festa e motivação da comunidade local. De repente chega a deputada Dona Iris, em carreata, e alegra a galera…kkkk Depois uma cidadã comum, ao lado do Ministro Alexandre Padilha e do Prefeito Paulo Garcia, pede para fazer uma foto, e no final grita: Viva a Prefeita Dilma! Todo mundo sorriu e a festa continuou.

Na hora mesmo da festa, a deputada Iris Araújo, foi homenagear a comunidade local, e bradou uma homenagem à Vila Mutirão, em lugar do verdadeiro local  que é Vila Redenção. Você imagina como todo reagiram…kkk

Independente de Dilma “prefeita” e a  gafe de Dona Iris, o Paulo, esse sim, o prefeito, era só alegria; cumprimentava todos com fervor e graça, pois era uma espera de muitos anos a entrega da unidade de saúde especializada na saúde da Mulher.

O prefeito aceitou até a brincadeira do Ministro Padilha, que pegou o equipamento de ultrassonografia e simulou um exame de “gravidez” no Prefeito Paulo Garcia….kkk Provando assim que o prefeito tá nadando em cima da “carne-seca”, no aspecto administrativo como também político partidário….

Viva as Mulheres goianienses, que agora terão atendimento completo à saúde no Hospital da Mulher e Maternidade “Dona Iris”.

Mais fotos no http://www.flickr.com/photos/luizparahyba

Foto de Dona Júlia :  Lucas Henrique

DOM TOMÁS É DOUTOR DA TERRA E DO POVO


Hoje a Universidade Federal de Goiás, concederá a Dom Tomás Balduino o título de  Doutor Honoris Causa. O evento será às 20 horas na Catedral da Cidade de Goiás (GO), cidade onde o bispo emérito atuou pastoralmente por muitos anos.

Seu trabalho pastoral e de luta junto aos trabalhadores e trabalhadoras rurais, além de indígenas e quilombolas, sempre foi marcante na região e em outras partes do Brasil. Por isso, a UFG, através do seu conselho superior, concede ao BISPO da TERRA e do POVO o título de Doutor Honoris Causa.

O possense que nasceu para lutar no mundo, é um orgulho para o povo do Nordeste Goiano. Um homem que vive na luta pela TERRA, ÁGUA e DIREITOS dos Trabalhadores e Trabalhadoras rurais, agora é Doutor da UFG e do povo.

Conheça um pouco da história de Dom Tomás Balduino:

Dom Tomás Balduíno nasceu em Posse, Goiás, no dia 31 de dezembro de 1922. Ele é filho de José Balduíno de Sousa Décio, goiano e de Felicidade de Sousa Ortiz, paulista. Seu nome de batismo é Paulo, Paulo Balduino de Sousa Décio. Foi o último filho homem de uma família de onze filhos, três homens e oito mulheres. Ao se tornar religioso dominicano recebeu o nome de Frei Tomás, como era costume.

Até os cinco anos de idade viveu em Posse. Depois a família migrou para Formosa, onde seu pai se tornou promotor público, depois juiz e se aposentou como juiz.

Fez o Seminário Menor – Escola Apostólica Dominicana – em Juiz de Fora, MG. Fez os estudos secundários no Colégio Diocesano, dirigido pelos irmãos maristas, em Uberaba.   Cursou filosofia em São Paulo e Teologia em Saint Maximin, na França, onde também fez mestrado em Teologia.

Em 1950, lecionou filosofia em Uberaba. Em 1951 foi transferido para Juiz de Fora como vice-reitor da então Escola Apostólica Dominicana e lecionou filosofia, na Faculdade de Filosofia da cidade.

Em 1957, foi nomeado superior da missão dos dominicanos da Prelazia de Conceição do Araguaia, Estado do Pará, onde viveu de perto a realidade indígena e sertaneja. Na época a Pastoral da Prelazia acompanhava sete grupos indígenas. Para desenvolver um trabalho mais eficaz junto aos índios, fez mestrado em Antropologia e Lingüística, na UNB, que concluiu, em 1965. Estudou e aprendeu a língua dos índios Xicrin, do grupo Bacajá, Kayapó.

Para melhor atender a enorme região da Prelazia que abrangia todo o Vale do Araguaia paraense e parte do baixo – Araguaia mato-grossense fez o curso de piloto de aviação. Amigos solidários da Itália o presentearam com um teco-teco com o qual prestou inestimável serviço, sobretudo no apoio e articulação dos povos indígenas. Também ajudou a salvar pessoas perseguidas pela Ditadura Militar.

Em 1965, ano em que terminou o Concílio Ecumênico Vaticano II, foi nomeado Prelado de Conceição do Araguaia. Lá viveu de maneira determinante e combativa os primeiros conflitos com as grandes empresas agropecuárias que se estabeleciam na região com os incentivos fiscais da então SUDAM e que invadiam áreas indígenas, expulsavam famílias sertanejas, os posseiros, e traziam trabalhadores braçais de outros Estados, sobretudo do nordeste brasileiro, que eram submetidos, muitas vezes, a regimes análogos ao trabalho escravo.

Em 1967, foi nomeado bispo diocesano da Cidade de Goiás. Nesse mesmo ano foi ordenado bispo e assumiu o pastoreio da Diocese, onde permaneceu durante 31 anos, até 1999 quando, ao completar 75 anos, apresentou sua renúncia e mudou-se para Goiânia. Seu ministério episcopal coincidiu, a maior parte do tempo, com a Ditadura Militar (1964-1985).

Dom Tomás, junto à Diocese de Goiás, procurou adequar a Diocese ao novo espírito do Concílio Ecumênico Vaticano II e de Medellín (1968). Por isso sua atuação, ao lado dos pobres, no espírito da opção pelos pobres, marcou profundamente a Diocese e seu povo. Lavradores se reuniam no Centro de Treinamento, onde Dom Tomás morava, para definir suas formas de organização e suas estratégias de luta. Esta atuação provocou a ira do governo militar e dos latifundiários que perseguiram e assassinaram algumas lideranças dos trabalhadores. Em julho de 1976, Dom Tomás foi ao sepultamento do Padre Rodolfo Lunkenbein e do índio Simão Bororo, assassinados pelos jagunços, na aldeia de Merure, Mato Grosso. Em sua agenda estava programada uma outra atividade. Soube depois, por um jornalista, que durante esta atividade programada, estava sendo preparada uma emboscada para eliminá-lo.

Alguns movimentos nacionais como o Movimento do Custo de Vida, a Campanha Nacional pela Reforma Agrária, encontraram apoio e guarida de Dom Tomás e nasceram na Diocese de Goiás.

Dom Tomás foi personagem fundamental no processo de criação do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), em 1972, e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), em 1975. Nas duas instituições, Dom Tomás sempre teve atuação destacada, tendo sido presidente do CIMI, de 1980 a 1984 e presidente da CPT de 1999 a 2005. A Assembléia Geral da CPT, em 2005, o nomeou Conselheiro Permanente.

Depois de deixar a Diocese, além de ser presidente da CPT, tem desenvolvido uma extensa e longa pauta de conferências e palestras em Seminários, Simpósios e Congressos, tanto no Brasil quanto no exterior. Por sua atuação firme e corajosa recebeu diversas condecorações e homenagens Brasil afora. Em 2002, a Assembléia Legislativa do Estado de Goiás, lhe concedeu a medalha do Mérito Legislativo Pedro Ludovico Teixeira. No mesmo ano recebeu o Título de Cidadão Goianiense, outorgado pela Câmara Municipal de Goiânia.

Foi designado, em 2003, membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, CDES, do Governo Federal, cargo que deixou por sentir que pouco ou nada contribuía para as mudanças almejadas pela nação brasileira. Foi também nomeado membro do Conselho Nacional de Educação.

No dia 8 de novembro de 2006, Dom Tomás recebeu da Universidade Católica de Goiás (UCG) o título de Doutor Honoris Causa, devido ao comprometimento de Dom Tomás com a luta pelo povo pobre de Deus.

No dia 18 de abril de 2008 recebeu em Oklahoma City (EUA), da Oklahoma City National Memorial Foudation, o prêmio Reflections of Hope. A organização considerou que as ações de Dom Tomás são exemplos de esperança na solução das causas que levam a miséria de tantas pessoas em todo o mundo. A premiação Reflections of Hope foi criada em 2005 para lembrar o 10º aniversário do atentado terrorista de Oklahoma – quando um caminhão-bomba explodiu em frente a um edifício, matando 168 pessoas – e para homenagear aqueles que representam a esperança em meio à tragédia e dedicam suas vidas para melhorar a vida do próximo.

 

 

Com informações da CPT – Comissão Pastoral da Terra

O “chupa-cabra” da telefonia móvel e o Nextel dos Bicheiros

 

Sempre os picaretas buscam os indefesos, fracos e desinformados para os golpes, principalmente nos serviços bancários, telefonia e venda de imóveis. Dessa vez a modalidade é a telefonia. Um serviço  que é péssimo, caro e sem controle do poder público, assim surgem os marginais para enganar a sociedade e ocupar lugar que o Estado não assume.

No nordeste do estado de Goiás, uma onda de  CHIPs da telefonia VIVO, “encanta” os moradores de várias cidades, principalmente Alvorada do Norte. O sistema é fácil e barato,  ou seja, o melhor caminho para enganar os desavisados. O “consumidor” compra um CHIP da VIVO por 30 reais, para fazer ligações a vontade para telefones da mesma operadora, as ligações podem ser por tempo indeterminado, todos os dias a qualquer hora, mas não pode receber ligações nos primeiros trinta dias. O sistema é chamado de CHUPA-CABRA. Os prefixos dos telefones são normalmente 81, 85 ou 88, referentes aos estados de Pernambuco e Ceará.

Nesta semana recebi três ligações, inclusive de pessoas que tem acesso a informações, e acham que estão fazendo um bom negócio; economizando e driblando as dificuldades contratuais das operadoras de celular. No primeiro momento estão economizando e rompendo com as armadilhas das operadoras de telefonia, mas podem também entrar numa enrascada. Esse tipo de ação pode também ser do controle dos bandidos, aqueles mesmos que ligavam do prefixo 85 (Ceará) para pedir resgate de sequestro ou anunciar prêmios do SBT e da Globo.

Acho que a ação de romper com as empresas de telefonia é uma grande sacada, mas o formato utilizado é perigoso e tem semelhança com organização criminosa. Estou acreditando que é o sistema é no estilo dos “gatos” de sinal de TV nas cidades dominadas pela contravenção e tráfico de drogas.

Se por essas bandas o comando é de  bicheiros utilizando RÁDIO NEXTEL, o cidadão comum acredita que pode utilizar um CHIP pirata para enganar uma operadora de telefonia. A agência controladora ANATEL deveria cumprir o verdadeiro papel de desmascarar essas empresas e impedir o cidadão ficar refém de um serviço caro, ruim e ineficiente. No segundo momento, impedir os criminosos entrarem no ramo de telefonia para comandar redes de  safadezas e corrupções.

OLHA O CHUPA-CABRA aí ANATEL!

MANIFESTAÇÃO DO IMANIFESTÁVEL

 

A suburbanidade de Goiás com o Distrito Federal, causa  transtornos para o governo central quando o assunto é manifestação. Auditores Fiscais, Trabalhadores Rurais, Professores, Sem Terra, Ambientalistas, ou quaisquer outras categorias, estão sempre se ancorando em Goiás para levar gente pra fazer volume na Esplanada dos Ministérios. Goiás sempre fica com a maior conta de “militantes”, pois o Distrito Federal está entranhado no estado de Goiás, separado apenas pelas “desestruturas” dos municípios do Entorno, criados pela incompetência de várias administrações.

Há inclusive uma “indústria” da manifestação, comandada por grandes organismos de trabalhadores e patrões, que buscam em Goiás a fabricação de bandeiras, camisetas e panfletos, com preços melhores que os praticados no Distrito Federal. Isso aumenta o PIB goiano e movimenta a “indústria” da mobilização fabricada.

O fato de levar gente para o Centro do Poder é uma prática legítima e inteligente, não se pode cair no ridículo, de tentar colocar cabos eleitorais extemporâneos, para defender causas privadas de gestores públicos. Ou seja, assuntos que já estão literalmente nas privadas, que alimentam as pautas sujas do estado de Goiás.

Uns chamam de “jequice” outros querem fiscalizar as despesas dos interesses privados com recursos públicos…enfim, é fácil juntar gente, pra sair de Goiânia às 7h, num ônibus com 44 passageiros, com uma parada em Alexânia para um lanche, e fazer número em Brasília. É uma viagem boa, são cerca de 200km até o Planalto Central do poder, com direito a algumas biritas, namoricos e novas amizades. Sem falar que alguns “manifestantes” ainda aproveitam pra fazer umas compras na Feira da Torre ou passear no Conjunto Nacional , e outros de muita fé, vão fazer suas  orações na Catedral, com direito a foto digital para o Orkut. Tudo isso para MANIFESTAR. Ah, existem casos que os manifestantes nem sabem o que estão fazendo em Brasília….como dizia Arnaud Rodrigues nos Baianos & os Novos Caetanos: “O que que eu tô fazendo nesse disco?”.

Boa viagem!

O Show do colecionador de armas

 

Os dados oficiais apontam mais de 154 mil armas nas mãos dos  colecionadores brasileiros. Apesar de todos  os critérios estabelecidos pela legislação, muitas armas clandestinas estão nas mãos desses “colecionadores”. Muitos deles ajudam a alimentar o crime, outros são vítimas das suas peças de estimação e carinho: as armas!

O último caso de colecionador vítima de suas armas, faz a TV brasileira promover “show” com o esquartejamento de um grande empresário, mostrando  a fragilidade e os perigos dessa prática criminosa de juntar  de armas de fogo. O perigo sempre está dentro de casa, seja para um parente usar indevidamente a arma ou o colecionador ajudar o crime organizado no acesso aos seus objetos. Algumas vezes através de um conluio ou supostamente vitimado…

O show da vida e da morte que se promove com um caso triste; onde a mulher faz curso de tiro, acoita o marido na coleção de armas e  promove um crime “espetacular”, aguçando os sentidos mais violentos, com a promoção midiática. A TV brasileira conta detalhes da vida da criminosa, fala com a  professora e familiares da autora da barbárie e perde um tempo danado para dizer o que não precisa dizer. Esquece de afirmar  QUE ARMA É PRA MATAR!

Em Goiás, um ex-governador ostenta o título de um dos maiores colecionadores de armas do estado, e muita gente acha isso fantástico e bonito. Ninguém ousa questionar e criticar, muito menos pedir investigação sobre esse arsenal.

Votei no plebiscito pelo DESARMAMENTO e continuo contra a fabricação, uso e comercialização de armas de fogo. Arma é pra matar, ninguém consegue provar outra utilidade. Essa estória-escândalo que a mídia explora de um grande empresário, deveria aproveitar o momento para abrir novamente uma discussão nacional sobre o USO e COMERCIALIZAÇÃO DE ARMA!

DESARMAMENTO JÁ!

OPORTUNIDADE: Sebrae abre vagas para Goiânia, Posse e outras cidades goianas

 

Inscrições vão até o próximo dia 19. Além da capital, há oportunidade disponível nas localidades de Rio Verde, Posse, São Luis de Montes Belos, Catalão, Caldas Novas, Luziânia, Goianésia, Jataí e Porangatu.

 

Sebrae Goiás está oferecendo 41 vagas para os cargos de Assistente II (nível médio), Analista Técnico I (nível superior) e Analista Técnico II (pós-graduação). De acordo com a gerente da Unidade de Gestão de Pessoas do Sebrae Goiás, Carmen Neiva, “trata-se de um processo qualificado que irá, no menor espaço de tempo estabelecido, convocar os candidatos aprovados para tomar posse em suas vagas. Temos esta prioridade no Sebrae Goiás para melhor atender nossos clientes, em virtude da ampliação da rede de atendimento do Sebrae no Estado de Goiás, com o aumento dos Escritórios Regionais e das Agências Sebrae. Desta forma, o processo é ágil e está aberto à participação daqueles que cumprirem com os requisitos que constam no edital”, completa Carmen Neiva.

Os salários variam de R$ 2 mil a R$ 8 mil. Além do salário, também são oferecidos benefícios como: assistência médica e odontológica, plano de previdência privada complementar, vale transporte e auxílio refeição/alimentação. As oportunidades são destinadas a pessoas com ensino médio, superior e pós-graduação, podendo inclusive ser recém-formadas.

Quem possui ensino médio completo pode se candidatar ao cargo de Assistente II, com remuneração de R$ 2.097,79. Os candidatos deverão ter experiência mínima de seis meses em setores como atendimento a clientes (presencial ou telefônico), controle e manutenção de arquivo de documentos, digitação de documentos, relatórios e planilhas e apoio administrativo.

Já para as vagas de Analista Técnico I, com remuneração de R$ 4.440,31, os interessados deverão ter curso superior completo (bacharelado ou tecnológico) em Gestão, Administração de Empresa, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Administração de Recursos Humanos, Psicologia e Marketing, Comunicação Social (ou Letras) e Engenharia Civil, com experiência mínima de seis meses na área de formação.

Para Analista Técnico II, com remuneração de R$ 8.294,26, o Sebrae Goiás disponibiliza duas vagas. Uma para candidatos graduados em Direito e com pós-graduação em uma das seguintes áreas: administrativa, civil, constitucional, legislação aplicada às micro e pequenas empresas (MPE), licitações, contratos, previdenciária, trabalhista ou tributária; e outra para profissionais formados e pós-graduados em Tecnologia da Informação.

O processo seletivo, cujas inscrições vão até o dia 19 deste mês, será realizado pela EGaion, uma das principais consultorias de recrutamento e seleção parceira do Sistema Sebrae. Para participar, os candidatos podem entrar pelo site www.sebraego.com.br .

A taxa de inscrição é de R$ 50,00, para as vagas de Assistente II, e de R$ 100,00, para as vagas de Analista Técnico (I e II). A isenção do valor é válida apenas para os candidatos que informarem ser portadores de necessidades especiais ou que comprovarem renda familiar mensal igual ou inferior a dois salários mínimos.

 

 

1 2