DEUS, ZANDER E AMARILDO

 

Encontrei o jornal “O Popular”, edição do dia 15 de dezembro de 2005. Guardo esse e outros exemplares nos meus arquivos, porque produzi fotos que foram destaques nesse periódico. Mas a edição 18.975, é memorável, pela manchete de capa: “Colegas salvam Amarildo”. Uma matéria produzida por grandes repórteres; Heloísa Lima, Aline Leonardo, Carlos Eduardo Reche e o repórter fotográfico Zuhair Mohamad e com colaboração dos jornalistas Cecília Aires e Rodrigo Hirose.

O elemento em julgamento, o ex-vereador Amarildo Pereira, que na capa do jornal, tem ao seu lado, figuras “ilustres” conhecidas do povo goianiense, e que hoje, nos faz lembrar as mesmas marmotas, durante o pronunciamento de outro elemento que foi preso por denúncias de corrupção na Agência de Meio ambiente de Goiânia, numa operação denominada “Jeitinho”.

Os dois episódios, com diferença apenas de 8 anos, deixa a memória do eleitor apagada, parece até que foi ontem, mas ninguém lembra. Tanto não lembra, que no eixo das denúncias contra o ex-vereador Amarildo Pereira, estava o diretor da Câmara, Zander Fábio, que segundo o então relator do processo,  ex-vereador Humberto Aidar, que diz:  “De acordo com documentos da Receita Federal, há um excesso de R$ 274 mil reais nas contas do vereador que são incompatíveis com sua renda”, e que três cheques, todos acima de R$ 7 mil reais, foram emitidos em favor de Zander Fábio, que era ligado ao esquema de corrupção e foi eleito vereador em 2012, e tomou posse em 2013. É bom lembrar que o rombo promovidos pelos corruptos contra o INSS, ultrapassou R$ 7 milhões de reais

Gente da estirpe de Fábio Sousa, Cida Garcêz, Anselmo Pereira, Giovane Antonio, todos votaram favoráveis as fraudes contra o INSS, promovidas pelo ex-vereador Amarildo Pereira; foram 17 a 16 contra a cassação do vereador corrupto.

Mas se tudo isso não é suficiente para rememorar nossas cabeças, o pior ainda estaria para acontecer em 2008, quando o acusado de corrupção, vencedor na votação dos seus pares, declarou: “Pedi a Deus para fazer a vontade dele. Se Deus me deu esse resultado é porque sabe que não devo”, bradou pecaminosamente o ex-vereador, aos prantos.

No ano que comemoramos 80 anos de Goiânia, uma cidade linda, agradável e com gente honesta e hospitaleira, temos que lembrar os fatos que mancharam a vida política e que foram registrados pelos veículos de comunicação. Por isso, faça uma pesquisa nos seus “guardados” , publique fotos, textos e vídeos rememoram  nossa história, mas não precisa ser nem “oito nem oitenta”.

Dom Fernando e Dom Eraldo: A igreja de GO e PB

O Novo bispo de Patos-PB, Dom Eraldo Bispo da Silva, estudou em Goiânia no Seminário São João Maria Vianney, e assim leva a esperança da luta do povo goiano ao povo paraibano,  retribuindo a luta de outro grande paraibano; Dom Fernando Gomes dos Santos.

Dom Eraldo é paraibano e assumiu nesta semana a diocese de Patos-PB – cidade natal dos meus pais. A sagração como bispo, foi ainda um dos últimos atos do Papa Bento XIV, para ocupar os cargos de bispo ainda em vacância. Dom Eraldo nasceu no município de Monteiro (PB), em 13 de agosto de 1966. Estudou Filosofia no Seminário Interdiocesano São João Maria Vianney, em Goiânia, de 1986 a 1988. Cursou Teologia no mesmo seminário, no período de 1989 a 1992. Tem especialização em Metodologia da Formação Presbiteral, na Universidade Católica de Salvador (2001-2002), e em Direito Canônico, pelo Instituto Teológico Pastoral para América Latina, Bogotá, Colômbia (2002).

Após ordenado presbítero no dia 24 de abril de 1993, na cidade de Monteiro, passou a integrar o clero da Diocese de Barreiras, Estado da Bahia. Foi nomeado bispo de Patos pelo Papa Bento XVI, no dia 7 de novembro de 2012. A sua sagração episcopal, presidida pelo cardeal e arcebispo-emérito da Arquidiocese de São Salvador, aconteceu na Praça São João Batista, defronte à catedral diocesana de Barreiras aos 27 de dezembro de 2012.

Se seguir o sangue paraibano do mestre Dom Fernando Gomes dos Santos, e honrar a Paraíba e o estado de Goiás, o novo bispo de Patos estará ao  lado do povo e de suas lutas para assumir a “opção preferencial pelos pobres”.

O massacre do Parque Oeste e a luta do Povo de Deus

Há 7 anos,  no Parque Oeste Industrial em Goiânia, a PM fecha o cerco contra as famílias de sem teto, e realiza uma operação “inquietação”, com tortura psicológica para começar uma sangrenta operação para desalojar 3,5 mil   famílias. Era 15 de fevereiro de 2005, e eu pergunto: ONDE ESTAVA JESUS CRISTO LIBERTADOR? Do lado de quem o Salvador estava? Dos poderosos ou dos excluídos? Quem estava apoiando os oprimidos e violentados naquela noite? Vejamos!

No dia 16 de fevereiro, o Comando geral da PM, com 2500 militares, recebe autorização para invadir a área e desocupar, com o saldo de vários feridos e duas mortes. As entidades populares e a Igreja Católica de Goiânia, estavam presente, com seus agentes de pastorais e sacerdotes, lutando pelo pobres e oprimidos e defendendo a PAZ!

Frei Marcos Sassatelli e a Irmã Petras, são os primeiros, orientados pelo arcebispo de Goiânia, para lutar, apoiar  e rezar pelos sem teto, inclusive oferecendo teto na Catedral Metropolitana para as famílias desalojadas. Tudo isso parece que foi ontem, mas já se passaram 7 anos, e ainda tem gente na Igreja que faz opção preferencial pelos ricos/opressores.

Não podemos esquecer o massacre do Parque Oeste, e o Frei Marcos disse: “…uma área que, no sentimento religioso do povo, é “amaldiçoada” por Deus e só será “libertada” da maldição divina se for utilizada para o bem comum, e em benefício dos pobres e excluídos da sociedade. Lembrem os responsáveis por essa violação dos Direitos Humanos, praticada com requintes de crueldade, que Deus é justo. Aguardem!”

—————————————————————————————————

ALGUNS FATOS QUE MARCARAM O “POI”

 

12 de maio
Famílias de sem-teto começam a chegar à área (20 a 28 alqueires) e milhares de barracas são espalhadas rapidamente;

9 de setembro
A juíza Grace Corrêa Pereira, da 10ª Vara Cível, concede liminar de reintegração de posse na área ocupada pelos posseiros e dá 20 dias para desocupar os terrenos;

11 de novembro
Secretaria de Segurança Pública diz que precisa de cerca de 40 dias para planejar desocupação e adia retirados sem-teto;

23 de novembro
Ofício encaminhado à SSPJ pela juíza Grace Corrêa determina que o prazo final para desocupação da área é dia 25 de novembro. Secretaria planeja ação, mas não marca data para retirar famílias;

24 de novembro
Polícia anuncia o indiciamento da primeira pessoa acusada de venda ilegal de lotes, SSPJ diz que vai fechar comércio clandestino no local, é encaminhado à Justiça pedido de 45 dias de prazo para cadastrar famílias e começa policiamento ostensivo na área;

1º de dezembro
A juíza Grace Corrêa adia por 23 dias o cumprimento da ordem de despejo das famílias

14 de dezembro
Tribunal de Justiça mantém a decisão da juíza Grace Corrêa, que determinou a saída dos posseiros;

22 de dezembro
A juíza Grace Corrêa prorroga prazo para cadastramento e adia remoção das famílias para o dia 17 de janeiro;

11 de janeiro
Agehab protocola na Justiça pedido de prorrogação do prazo, de mais 20 dias, para o cadastramento das famílias

13 de janeiro
O juiz plantonista da 10ª Vara Cível, Sérgio Divino de Carvalho, nega prorrogação do prazo para cadastramento das famílias e mantém despejo para 17 de janeiro

14 de janeiro
Justiça acata pedido da Procuradoria-Geral do Estado e da SSPJ e adia remoção dos sem-teto para 31 de janeiro

31 de janeiro
Polícia cerca a área, mas não cumpre a ordem de desocupação;

1º de fevereiro
Moradores decidem permanecer na área.

11 de fevereiro
Durante a madrugada, acontece o primeiro confronto entre militares e invasores.

12 de Fevereiro

Depois de pedidos da Igreja e entidades populares para que o Governo evite o confronto, os Sem-teto realizam um ato pela PAZ. O vigário episcopal oeste, Frei Marcos Sassatelli, fala durante o ato e pede que o governo tenha uma solução pacífica;

15 de Fevereiro

Polícia fecha o cerco contra os sem-teto e realiza operação “inquietação”, realizando tortura psicológica durante toda noite, preparando uma operação violenta no dia seguinte;

16 de Fevereiro

Governador autoriza o Comando Geral da PM utilizar 2.500 policiais para retirada dos sem-teto, utilizando cavalaria, choque, cães e muita bomba e munição. A operação começa às 8h e às 11h. Duas mortes: Pedro Nascimento da Silva e de Wagner da Silva Moreira,

17 de Fevereiro

Durante o velório dos dois sem-teto o delegado Carlos Teixeira, manda agentes da Polícia (infiltrados) agir entre os manifestantes que se concentravam na porta da Catedral Metropolitana. Depois de tiros e muita confusão, a polícia saiu do local e a PM cercou o Palácio das Esmeraldas durante o cortejo fúnebre. As crianças e idosos, se alimentaram na Catedral (SPAR) com a solidariedade da Arquidiocese e Casa da Juventude “Pe.Bournier”.

18 de Fevereiro

Casas e barracos da área desocupada, continuam sendo destruídas com os móveis e documentos dos sem-teto ainda dentro dos imóveis. O Governo e a prefeitura de Goiânia, simulam um entendimento para desapropriação da área. O ministro Nilmário Miranda visita a área e recebe relato das entidades e parlamentares;

23 de Fevereiro

Comissão de Parlamentares, Igreja e entidades populares, levam relatório da ação da PM para autoridades em Brasília (Procuradoria da República, CNBB, OAB) e pedem providências e solução para os sem-teto que continuam abrigados em dois ginásios de esportes de Goiânia.

 

 

 

Eu não derrubei o papa, mas rezo para avanços na Igreja

COMO SE ELEGE UM PAPA

      A Carta ao Papa, sobre a situação do padre goianiense, que desobedece as ordens pastorais, causou espanto em alguns irmãos e irmãs, mas foi providencial. Acho que o ato humilde do Papa Bento XVI, ao renunciar,  foi a providência divina para abrir as portas da Basílica de São Pedro.

Sempre rezei para que a Igreja servisse aos pobres e excluídos, à luz do CONCÍLIO VATICANO II, que completa 50 anos. Mas chorava copiosamente, quando via o declínio da Santa Madre Igreja, pecando e optando pelos ricos; esquecendo a Teologia da Libertação para trilhar nos caminhos neopentecostais, adotando a Teologia da Prosperidade, e ligada cada dia mais  aos ricos e poderosos.

Por isso escrevi ao PAPA, alguns brincam que eu derrubei Sua Santidade; pura fantasia. Eu abri o assunto, e acho que ao receber a carta, o Santo Padre, deve ter dito: “Não aguento mais”.

Um novo Conclave deve começar no final de fevereiro, e vamos rezar para que a Igreja se volte para o Evangelho de Jesus Cristo.

Para quem deseja entender e acompanhar o processo da escolha do novo PAPA, eu quero humildemente sugerir a leitura do livro do mestre Alberto Melloni: “COMO SE ELEGE UM PAPA”, Edições Paulinas (Igreja na História).

Livro recomendado para quem deseja entender o CONCLAVE.

INVOCAÇÃO A MARIAMA – A IGREJA QUE EU ACREDITO

Eu acredito em uma Igreja que invoca MARIAMA dessa forma e desse jeito. Viva!

 

INVOCAÇÃO A MARIAMA

 

D.Helder Câmara, arcebispo de Olinda e Recife (memória)

Mariama, Nossa Senhora

Mãe de Cristo e Mãe dos Homens!

Mariama, Mãe dos homens de todas as raças,

De todas as coisas, de todos os cantos da Terra.

Pede a teu filho que esta festa não termine aqui,

a marcha final vai ser linda de viver.

Mas é importante, Mariama, que a Igreja de teu filho

não fique em palavras, não fique em aplausos.

O importante é que a CNBB, Conferência dos Bispos,

Embarque de cheio na Causa dos Negros, como entrou de

cheio na Pastoral da Terra e na Pastoral dos Índios.

Não basta pedir perdão pelos erros de ontem.

É preciso acertar o passo hoje sem ligar ao que disserem.

Claro que dirão, Mariama, que é política, que é subversão,

que é comunismo.

É, Evangelho de Cristo, Mariama.

Mariama, Mãe querida, problema de negro acaba se

Ligando com todos os grandes problemas humanos.

Com todos os absurdos contra a humanidade,

com todas as injustiças e opressões.

Mariama, que se acabe, mas se acabe mesmo a maldita

Fabricação de armas.

O mundo precisa fabricar é Paz.

Basta de injustiça, de uns sem saber o que fazer com tanta

terra e milhões sem um palmo de terra onde morar.

Basta de uns tendo de vomitar pra poder comer mais

e 50 milhões morrendo de fome num ano só.

Basta de uns com empresas se derramando pelo mundo todo e milhões sem um canto onde ganhar o pão de cada dia.

Mariama, Nossa Senhora, Mãe querida,

Nem precisa ir tão longe como no teu hino.

Nem precisa que os ricos saiam de mãos vazias

E os pobres de mãos cheias.

Nem pobres nem ricos.

Nada de escravo de hoje ser o senhor de escravos de amanhã.

Basta de escravos.

Um mundo sem senhores e sem escravos.

Um mundo de irmãos.

De irmãos não só de nome e de mentira,

De irmãos de verdade, Mariama.

 

 

Dom Helder Câmara, arcebispo de Olinda e Recife, em 1982, com  Dom Pedro Casaldáliga, Milton Nascimento e Pedro Tierra, na Missa dos Quilombos.

Se desejar ouvir o CD original, mande sua mensagem.

CARTA AO PAPA: O PADRE E O PRESO!

 

Goiânia, Goiás – Brasil, 05 de fevereiro de 2013, Ano C do Tempo Comum

Santíssimo Padre;

“LOUVADO SEJA N.S. JESUS CRISTO”

A PAZ!

Personagem de “Jesus Cristo” na semana Santa de 2012 no S.Judas Tadeu.

 

Quando comemoramos 50 anos do Concílio Vaticano II, acreditamos num novo Pentecostes, mas acho que foi muito forte. No Brasil, o Santíssimo Padre irá observar que há um verdadeiro desvirtuamento do Santo Evangelho, mas precisamente em Goiás na Arquidiocese de Goiânia, pastoreada pelo Arcebispo Dom Washington Cruz CP. Não por culpa do nosso pastor, mas pelas forças ocultas do movimento de Renovação Carismática Católica, que na minha opinião, sepultou a Teologia da Libertação e fez a opção clara pelos RICOS. Senão vejamos:

Um padre, ligado  ao  denominado movimento religioso RCC, desafia a todo momento a hierarquia da Santa Igreja, promovendo cultos exagerados para os ricos, fugindo totalmente da linha pastoral adotado pela Igreja no Brasil e na Arquidiocese. O religioso já foi advertido e punido com suspensão da ordem religiosa e posteriormente transferido para outra paróquia, mesmo assim continua desafiado o Arcebispo e promovendo passeatas, carreatas e manifestações de promoção pessoal, financiada supostamente por grandes empresários.

A propósito dos financiadores do religioso a que me refiro, o episódio mais recente, foi a uma visita ao cárcere, que o religioso fez a um homem acusado de um crime bárbaro contra um jornalista esportivo do estado de Goiás, aqui no Brasil. O religioso, num gesto anticristo, foi visitar o rico que estava preso, não seguindo os passos de Jesus Cristo, expressado por Mateus 25: 36,39-40

36 – Necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram”.

39 – Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?”

40 –“O Rei responderá” Digo a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”.

Vossa Santidade, rogo a Deus para que a Igreja se volte novamente aos excluídos e injustiçados, e deixe que os opressores se esforcem e peçam a Misericórdia de Deus para que possam entrar no Reino dos Céus.

O que o religioso brasileiro está fazendo, é dando as costas aos injustiçados e apoiando os opressores ricos que matam e exploram os mais humildes. Ao visitar no  cárcere  um opressor, não era ali que estava a figura de Jesus Cristo. A figura de Jesus é o rosto do oprimido! Amém.

Sua Bênção,

Luiz Henrique Parahyba, leigo da Paróquia Santa Genoveva, Goiânia-GOIÁS – BRASIL.