CANAVIEIROS DISCUTEM PAUTA PARA CONVENÇÃO COLETIVA

 

Cerca de 150 trabalhadores(as) participam da reunião neste final de semana em Goiânia

O setor canavieiro goiano inicia mais uma etapa do processo de negociação nos dias 23 e 24 de março. Será realizada a assembleia com cerca de 150 trabalhadores(as) para fazer o fechamento de pauta e debater outros assuntos de interesse da categoria. No mes de maio a categoria senta a mesa com os usineiros para a CONVENÇÃO COLETIVA DA CANA.

De acordo com o diretor de Assalariados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás (Fetaeg), José Maria de Lima, essa reunião é fundamental para os canavieiros já que definirá os pontos mais importantes a serem negociados com os usineiros.

Na ocasião, a equipe jurídica da Fetaeg também fará palestras sobre diversos temas, dentre eles: segurança e saúde no trabalho; a importância da utilização do Equipamento de Proteção Individual (EPI); Comissão Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho Rural (CIPATR); e Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO).

No domingo, o diretor de Assalariados da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Antônio Lucas Filho, irá debater sobre os avanços da categoria em crescimento social e econômico. Posteriormente, o diretor da Fetaeg, José Maria, parte para o planejamento das ações estratégicas dos(as) trabalhadores(as) assalariados rurais para segurança no trabalho.  Por fim, o presidente da Fetaeg, Elias D’Angelo Borges, faz o encerramento das atividades.

 

 

Serviço:

Assembleia para fechamento de pauta do setor canavieiro

Data: 23 e 24/03/2013

Horário: 9h

Local: Centro Pastoral Dom Fernando: Av.: Anápolis, nº 2020, Jardim das Aroeiras. Goiânia – GO.

Contato: José Maria de Lima – (62) 8118-3936

 

Fonte – FETAEG

Paul, Paul, porque vens a Goiás?

 

 

Nenhum  filósofo, lógico, matemático, teólogo, cientista social ou até político, não vai explicar a perseguição de Saulo (depois tornou-se Paulo) que se transformou em PAUL, na versão inglesa, ao povo cristão e a Jesus! E muito menos explicar porque o poder público iria financiar um show internacional de 1 milhão de reais desse tal PAUL!

Saulo, Paulo e depois Paul McCartney, que conhece a realidade de muitos povos pobres e sofridos, poderia fazer uma missão humanitária em Goiás, promovendo um show especial para ajudar a reconstruir as estradas, implantar UTIs nas cidades com até 50 mil habitantes, implantar as redes de distribuição de energia para milhares de agricultores familiares, implantar centros de tratamento para dependentes químicos, aumentar os investimentos em educação, para assim capacitar e remunerar os profissionais do setor e construir escolas polos no meio rural.

Rodovia GO 060

Paul ou Paulo, poderia ajudar com um show humanitário, a resolver o problema da falta de esgoto em Aparecida de Goiânia, investir no combate a poluição dos rios e córregos que estão assoreados e comprometendo a saúde do nosso povo goiano. Paul, faz um show humanitário para reduzir o trabalho escravo nas carvoarias e canaviais goianos…enfim Paul, venha  aqui para denunciar o famigerado JOGO DO BICHO  e jogatina quem destroem famílias e financiam o crime organizado no estado de Goiás. Paul, cuidado, porque aqui tem DENGUE!

Paul, Paul, porque vens a Goiás? Você sabe que o dinheiro do seu show é exatamente o repasse ANUAL de recursos para o município de Simolândia-GO, localizado na região de menor índice de desenvolvimento humano (IDH)? Pois bem, um milhão nos faz falta, se estivesse sobrando, acho que valeria investir no seu trabalho. Você  tem uma legião de fãs, mas como humanitário que você é, lutador de causas, veja a cara sofrida do povo goiano, que luta contra a corrupção e pela melhoria da qualidade de vida. Venha, mas venha sabendo que Sítio D`Abadia, Mambai, Mairipotaba, Damianópolis, Bonópolis, Simolândia, e outras centenas de municípios, sentirão falta de 1 milhão de reais.

RURAIS NA MARCHA DAS CENTRAIS SINDICAIS EM BRASÍLIA

 

Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo e da Cidade se juntaram hoje na Esplanada dos Ministérios em Brasília para 7å  marcha das Centrais Sindicais , organizada pela CUT e mais cinco centrais. Os delegados do 11˚CNTTR participaram da caminhada na Capital Federal. A marcha fez uma  homenagem ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que morreu ontem em Caracas, aos 58 anos. A CUT estendeu uma grande faixa diante do principal carro de som, com uma foto do presidente e a frase “Hugo Chávez presente”.

Os delegados e delegadas do 11˚ CNTTR, liderados pelo presidente da CONTAG Alberto Broch, caminharam do estádio Mané Garrincha até a frente do Congresso. Com quase 50 mil participantes os goianos foram destaques na manifestação; a pauta era extensa com reivindicações da classe trabalhadora, dentre os itens da pauta estavam:

-Reforma Agrária;

-40 horas semanais sem redução de salários;
– Fim do fator previdenciário;
– Igualdade de oportunidade entre homens e mulheres;
– Política de valorização dos aposentados;
– 10% do Produto Interno bruto (PIB) para a educação;
– 10% do orçamento da União para a saúde;
– Ampliação do investimento público.

Governo terá 60 dias para implantar Comissão de Assalariados

Na noite de terça-feira a Presidenta Dilma Rousseff assinou o decreto que institui a Política Nacional para os Trabalhadores Rurais Empregados; o ato aconteceu no auditório do Centro de Convenções, onde está sendo realizado o Congresso da Contag.

Essa é uma reivindicação da 1ª Mobilização Nacional de Assalariados e Assalariadas Rurais, realizada no ano passado também em Brasília. Com o Decreto, o Governo  tem 60 dias para sua implantação e também a criação da Comissão Nacional dos Trabalhadores Rurais Empregados- CNATRE-  com a participação de membros do Governo e de 5 representantes da sociedade civil. A assinatura foi bastante comemorada pelos mais de 2.500 trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o país que estão participando do 11º CNTTR.

No final do encontro de Dilma com os trabalhadores e trabalhadoras, a presidenta assegurou que irá  acelerar a reforma agrária com terra de qualidade. “Nós queremos que os nossos assentados possam viver da própria terra, por isso não pode ser qualquer terra. Prometo que vou acelerar a reforma agrária com terra de qualidade. Mas, vocês têm que me ajudar e cadastrar todas as famílias para que tenham direito às políticas públicas. Nós juntos vamos mudar essa situação de desigualdade nos assentamentos”, disse a presidenta.

Antes de sair do plenário onde acontece o 11˚ CNTTR, Dilma Rousseff saiu no meio do corredor abraçando os participantes e tirando fotos.

 

Rurais se encontram em BSB e vão eleger um goiano para a CONTAG

Trabalhadores e Trabalhadoras aguaram a Presidenta Dilma hoje às 18h

Até sexta-feira, 8, cerca de 2500 trabalhadores e trabalhadoras rurais de todos estados, participam do  11º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), o evento foi aberto na noite desta segunda-feira, na capital federal, com as presenças dos ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas.  Hoje quem participa do evento é a Presidente Dilma Rousseff, ela deverá anunciar medidas para melhorar a situação dos trabalhadores rurais brasileiros. O evento está ocorrendo no Centro de Convenções Ulisses Guimarães. Amanhã os trabalhadores e trabalhadoras farão uma caminhada na Esplanada dos Ministérios.

Na abertura, a delegação goiana comemorava a escolha do goiano Elias D’Angelo Borges,  que será eleito secretário nacional de assalariados rurais da CONTAG. Elias, é atualmente o presidente da FETAEG e reside no município de Morrinhos-GO. A Federação de Goiás levou para Brasília 50 delegados e delegadas, além da participação de todos os diretores da entidade.

Com o auditório lotado no Centro de Convenções de Brasília, o presidente da Contag, Alberto Broch, abriu o congresso comemorando os 50 anos da CONTAG. . “São 50 anos que nos enchem de orgulho com as conquistas obtidas. Que significaram melhorias concretas para milhões e trabalhadores do Brasil. Neste congresso vamos tomar decisões para o fortalecimento do nosso movimento. Precisamos refletir e tomar decisões sobre o sindicalismo”.

O Congresso da CONTAG discute, dentre outro temas,  a implantação de um Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (PADRSS), que segundo Elias D`Angelo Borges, tem como objetivo melhorar a situação dos agricultores familiares e assalariados rurais, em contraposição ao modelo atual no Brasil.

Os Participantes do 11˚ Congresso da Contag, na comemoração dos 50 anos da entidade, estão fazendo o resgate da  memória camponesa, com instalação de painéis que retratam os crimes do tempo da ditadura militar no Brasil. A exposição de fotos e vídeos, mostra o período do governo militar, quando os trabalhadores eram expulsos do campo e muitos assassinatos de lideranças sindicais. Na abertura do evento, foi realizado um seminário  Seminário Internacional sobre Violência no Campo, realizado, que foi aprovou  uma  Carta Aberta titulada “Violência no Meio Rural: A Favor da Vida e da Paz” que será entregue aos governos da América Latina e às organizações da sociedade civil.  O documento é um instrumento de pressão e de proposição de políticas públicas que visam diminuir os conflitos no meio rural.

Trabalhadores e Trabalhadoras rurais Brasil, Colômbia, Guatemala, Nicarágua, Paraguai e Chile estiveram juntos no Seminário com o objetivo de aprofundar a discussão sobre a manutenção e o agravamento da situação de desrespeito e violação aos direitos humanos no meio rural.

Na quarta-feira os trabalhadores e trabalhadoras  de Goiás participam a 6˚ marcha das Centrais Sindicais e Movimento Sociais, com a CUT – Central Única dos Trabalhadores e as demais centrais, com o apoio dos movimentos sociais, trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade vão ampliar a pressão sobre o governo federal e o Congresso Nacional pela retomada dos investimentos públicos, em defesa da produção, de salários e empregos de qualidade no Brasil.

 

FOTOS – www.flickr.com/luizparahyba

Trabalhadores e Trabalhadoras discutem Violência no Campo durante congresso da CONTAG

Cerca de 2500 trabalhadores e trabalhadoras rurais de todos estados, vão participar do 11˚ Congresso da Contag – Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais. Como prévia do evento, a entidade organizou o “Seminário Internacional sobre a Violência no Campo – Cenários, Vítimas e Agressores” , que está acontecendo na tarde desta segunda-feira, 4,  no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O Seminário é realizado pela UITA, COPROFAM, e CONTAG, em paralelo ao credenciamento das delegações que participarão do 11º Congresso Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (CNTTR), que ocorrerá de 4 a 8 de março, em Brasília. No seminário, estão participando  convidados de países como Colômbia, Guatemala, Paraguai, Nicarágua,Chile.

Neste seminário estarão em pauta: as diversas formas de violência contra os assalariados e assalariadas rurais e seus direitos; trabalho escravo e precarização das relações de trabalho; e a violência no campo relacionada à disputa pela terra e o território.
Willian Clementino, secretário de Política Agrária da CONTAG, que faz parte da equipe organizadora do seminário, fala que a violência no campo é marcada em vários países da América Latina e do mundo. “O nosso desafio é discutir os direitos humanos e sociais do trabalhador e trabalhadora assalariado/a em nosso país, que tem se submetido à força do agronegócio e violentados em seus direitos, punidos com a exploração escrava. Vamos lançar e resgatar a campanha neste seminário, como também dialogar com outros países e a sociedade”, fala.

“O Seminário Internacional sobre Violência no Campo – Cenários, Vítimas e Agressores, está recebendo  trabalhadores/as de todas as regiões brasileiras, com depoimentos e suas realidades da violência no campo. O intuito é de evidenciar as histórias e de alertar os trabalhadores e as trabalhadoras sobre a exploração da mão-de-obra, imigração, escravidão, violência e violação dos seus direitos.

A abertura oficial do Congresso da CONTAG, será às 20h no Auditório do Centro de Convenções de Brasília.

Mais informações – www.contag.org.br

 

 

O PAPA RECEBEU A CARTA E TEM TEMPO PARA RESPONDER

“…quando o carteiro chegou, o meu nome gritou com a carta na mão…”

Eu sempre confiei nos CORREIOS do Brasil e do Mundo, por isso fiz uma CARTA AO PAPA, enviei via email, coloquei o link no Twitter, mas como bom paraibano, fiz uma carta física, coloquei no envelope e postei para o Vaticano, endereçada ao Santo Padre.

Muita gente levou na brincadeira a carta ao Sumo Pontífice, mas outros entenderam que é séria e trata de assuntos traumáticos da nossa Santa Igreja; apenas usei o exemplo de um padre goiano, que fez uma visita “pastoral” a um preso e que teve repercussão na mídia. Mas o teor da carta foi para alertar o caminho na Madre Igreja.

Agora no Monastério em Roma, Sua Santidade terá tempo para ler a carta, refletir e pedir ao Espírito Santo para iluminar os passo da instituição Santa!

No sábado à noite, fui a uma celebração na cidade de Nerópolis, na capela Santo Antonio (Diocese de Anápolis, comandada por D.João Wilk), e notei quanto continuamos distantes das realidades do povo. E pedi a Deus luz para os caminhos da nossa Igreja.

Agora, com a carta na mão, o Santo Padre deverá ajudar a rezar, rezar e rezar para Deus iluminar nosso caminhos. Como Papa Emérito, e representante de Deus aqui na terra, temos então o privilégio de temos dois representes de Deus aqui na Terra, o Emérito e o que será eleito. Já que tem dois, um poderia olhar mais para a Igreja na América Latina, por isso aguardo ansiosamente a resposta da carta.