Audiência não é tudo! Audiência não é nada!

 

A guerra travada pela audiência nos telejornais entre produtores, repórteres e apresentadores, deixa claramente visível que o principal personagem da disputa, o telespectador, fica de fora. Hoje esse público se renova e também se afasta da fragilidade da TV aberta.

Quando não percebemos que os telespectadores estão em outras mídias,  aí começa a apelação para a conquista da audiência e as marmotas. Sem falar que a linguagem e o formato estão ultrapassados.

Ao acompanhar a manifestação dos usuários do transporte coletivo, contra o aumento da tarifa, vi e vivi as hostilidades promovidas pelos jovens estudantes, contra a presença de alguns profissionais  e também alguns veículos de comunicação.

“Mesmo que reflita, os meios ainda estão em dissonância com os jovens”, disse um tuiteiro hoje no microblog. Mas o grave de tudo é o caráter ideológico, pois além de nem estamos preparados para ouvirmos a nova linguagem dos jovens, muitos meios de comunicação resguardam seus interesses financeiros e preferem ficar ao lado dos grupos econômicos que os sustentam.

Não quero e não pretendo condenar linha editorial de nenhum canal de TV, porém quero dizer que chegou a hora de conversar melhor com quem assiste.

 

veja mais fotos – www.flickr.com/luizparahyba

PM não precisa atacar estudantes

A “força” policial e a ausência das entidades na manifestação contra o reajuste do transporte

 

PM acuam estudante durante manifestação na Pç Bíblia

Goiânia virou campo de guerra; terça-feira, 28 de maio, durante uma manifestação pacífica de estudantes contra o reajuste de 11% da tarifa de ônibus, a PM ataca com força bruta centenas de jovens. O local foi o terminal “Praça da Bíblia”, que no lugar da paz, virou campo de batalha.

A PM mostrou toda sua “força” e descontrole nas ações de manifestações sociais pacíficas. A ausência de entidades representativas como OAB, CNBB, UNE, Associação de Moradores e outros, fortaleceu a ação violenta da PM contra os manifestantes, que contra atacaram com pedras, paus e outros objetos, para a defesa e demonstração de revolta.

O reajuste da tarifa de ônibus na região metropolitana de Goiânia, é questionável, e enquanto não se resolve, o aparelho estatal se arvora a defender a todo custo o patrimônio privado (ônibus). A manifestação com centenas de jovens estudantes, percorreu o trecho da Praça Universitária até a Praça da Bíblia, e em todo momento mostrava pleno controle. O fechamento do terminal Bíblia e a presença ostensiva da cavalaria da PM e a tropa de choque com cães, garantiu o cenário de guerra contra os manifestantes.

Se a sociedade não entrar nessa batalha os gananciosos empresários do transportes ganharão a luta, e nós usuários, ficaremos reféns dos atrasos, veículos sucateados e tarifas excessivas.

VEJA MAIS FOTOS – www.flickr.com/luizparahyba

Hoje começa a DERROTA de um homem que chamou LULA de canalha!

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não é canalha! Lula o maior presidente dos Brasileiros e reconhecido mundialmente como um dos maiores líderes do século na América Latina. Quem considera Lula canalha, da  sinais de morbidade eleitoral!

Luiz Inácio Lula da Silva o maior presidente da história do Brasil!

Eu resolvi manifestar-me como um simples filiado do Partido dos Trabalhadores há 32 anos; sempre fui um lutador para construir um pais justo, fraterno e para todos. Quando Lula foi eleito presidente, acendemos a esperança de melhorar o Brasil,  e colocamos o pais  para todos.

Um governador de estado, aproveitando uma oportunidade medíocre de uma reunião partidária, resolve atacar o maior líder dos trabalhadores e o maior referencial político do século: Lula! Chamar Lula de canalha é tentar agredir o povo brasileiro. Não se pode atacar de forma leviana, quem colocou o Brasil em patamares socioeconômico elevadíssimos. Não se pode atacar a história do Brasil. Quem faz isso,  deve estar recebendo ordens do “crime organizado” e dos “bandidos republicanos” que ditam as normas no estado de Goiás.

Acredito que os líderes do PT em Goiás, e nesse momento, faço um apelo público ao prefeito Paulo Garcia e o amigo pessoal de Lula, o secretário de Governo, Osmar Magalhães, para que façam uma defesa intransigente do companheiro Lula e reforcem a luta para a que a oposição PT/PMDB/PC do B e partidos aliados, retomem o estado de Goiás para o povo goiano e tirem os verdadeiros canalhas do poder.

Começa hoje na história de Goiás a derrota dos mesquinhos, medíocres e os verdadeiros canalhas. A sepultura foi aberta e o próprio coveiro irá cair dentro.

Lula vive!

 

Acompanhe as ações de LULA:

http://www.institutolula.org/

Seminário do Canal Saúde reúne no RJ gestores e comunicadores da saúde de todo país

 

Durante dois dias, gestores e comunicadores participam do Seminário ‘Que Canal Saúde você quer ver?’ promovido pela O Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O evento como objetivo mobilizar esses atores sociais para ampliar a audiência da emissora de forma organizada.

Luiz Henrique Parahyba convidado pelo Conselho Nacional de Saúde.

Entre os convidados do seminário estão representantes das secretarias de Saúde, com foco prioritário nos assessores de comunicação de Conselhos Municipais de Saúde (Cosems), dos Conselhos Estaduais de Saúde, do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

 

O seminário objetiva também levar os participantes a refletir com a equipe do Canal Saúde formas de utilizá-lo no dia a dia. A emissora de TV está disponível ao cidadão para ser pautada em seu conteúdo e está a serviço do profissional de saúde para contribuir com suas práticas de trabalho.

No primeiro dia do seminário, um  painel discutiu o tema Comunicação, Televisão e Saúde Pública  com a participação de Pedro Ekman, integrante do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social; Rodrigo Murtinho, pesquisador do Laboratório de Comunicação e Saúde (Icict / Fiocruz), e Gisele Bicalho, assessora de Comunicação Social da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Os cenários da Comunicação e da Comunicação em Saúde no Brasil foram mostradas numa visão estratégica da Comunicação na área da Saúde, trazendo a parte prática de como usar a programação do Canal Saúde.

Um segundo painel, intitulado Que Canal Saúde você quer ver? Após  os painéis  foram montados Grupos de Trabalho,  que apresentaram propostas de atuação conjunta entre os conselhos, secretarias e o Canal Saúde. Além disso, a programação do seminário inclui uma visita aos estúdios da emissora e pelo campus da Fiocruz.

http://www.canal.fiocruz.br/

DISCURSO JÚNIOR FRIBOI – FILIAÇÃO

Júnior Friboi assina ficha de filiação PMDB

 

Que responsabilidade!

 

Todo mundo sabe que já estive em outros partidos. Tenho o maior respeito por eles. Me trataram muito bem. Mas nesse comecinho já deu para sentir a diferença. Que partido sólido!

Que militância aguerrida! Aqui no pmdb tô me sentindo em casa.

Senhoras e senhores aqui presentes

 

A história da nossa família, a minha história pessoal, se confunde com goiás. Foi aqui que eu nasci. É aqui que eu moro. Como todos que estão aqui hoje, como todos os que vivem nessa terra, tenho orgulho de ser goiano!

Foi aqui que o meu pai, o zé mineiro, montou a casa de carne mineira. Era o início do friboi. Começamos aqui do ladinho. Em anápolis.

Lembra, pai? Lembra quando você festejou a venda da carne de cinco bois num dia? Imagina? Cinco bois. E olha onde esse seu projeto foi parar…

Olha onde esse nosso projeto foi parar… Crescemos muito. E levamos ao mundo o nome de goiás. From goiás.

Exportamos carne para mais de 100 países. Somos o terceiro maior grupo empresarial brasileiro. O primeiro é a petrobras. O segundo é a vale. Tive o privilégio de comandar o friboi por 25 anos. Depois de ir mais longe do que eu jamais sonhei, depois de ajudar a colocar a companhia na liderança internacional, chegou a hora de assumir um novo desafio para a minha vida. Um desafio que envolve a palavra mudar.

 

Mudar a minha vida. E trabalhar forte para mudar goiás. Tenho muitos amigos empresários que reclamam da política e dos políticos. Eles dizem que estão tristes com o que acontece por aí em alguns gabinetes. Mas adianta reclamar e não fazer nada? Não adianta nada. Está ruim? Ora, meu deus, entra na política e ajuda a mudar.

Conhece um jeito de melhorar o que está sendo feito? Mostra a solução. Não fica só reclamando. Foi o que resolvi fazer. Não estou nada satisfeito com o que tem acontecido com o nosso goiás. Não pode. Tem que mudar. Dá para fazer política de uma forma diferente. Um jeito limpo.

Precisamos libertar nosso estado. Devolver goiás ao povo. Goiás precisa de ordem e progresso. Porque gente boa nao falta. Gente boa tem de sobra.

Para fazer o friboi chegar onde chegou, trabalhamos muito. Trabalhamos sério. Com coragem. Apostamos na eficiência. Eficiência. Goiás está precisando é disso. Eficiência. Estou aqui para colaborar. Para reunir um grupo de goianos de bem.

Gente comprometida, que tenha competência, capacidade de trabalho e dedicação para fazer nosso estado mudar. Para fazer nosso estado avançar. Avançar no econômico. E avançar principalmente no social. E avançar alinhados com o governo federal. Com lula, dilma e michel. É hora de projetarmos uma vez mais o nome de goiás para o brasil e o mundo.

Como um exemplo de respeito ao cidadão. Dá para fazer. E nós vamos fazer. Juntos.

Como? Arregaçando as mangas. Só se combate a desonestidade e a ineficiência que está aí com a mobilização dos homens bem intencionados. Unidos, vamos vencer. Vamos mudar. Eu entendo a preocupação de alguns amigos que chegam perto de mim e dizem:

— “mas junior, você vai se meter nisso? Você é empresário. Entende de carne. Política é diferente”.

Gente, atenção: o negócio do friboi não é carne. A gente vende carne. Mas o sucesso do nosso negócio é e sempre será atrair gente. Gente boa. Onde quer que elas estejam. É formar time. É mobilização. É envolvimento. É compromisso. Nosso time tem hoje quase 200 mil colaboradores. Quando os outros acham que fazem bem, nosso time mostra que dá para mudar e fazer melhor.

É disso que goiás precisa. Fazer mais. Fazer melhor. Fazer diferente. Ser uma referência. Dediquei a minha vida a identificar talentos, lideranças. A fazer alianças. A saber a hora certa para avançar e, quando necessário, a hora certa para recuar. Por isso viramos referência. Aprendi com meu pai que a dúvida é a mãe da sabedoria. Eu tenho dúvidas. E quando encontro uma resposta nova, sei mudar de ideia. Isso é evolução. Melhor mudar de ideia ao longo da vida do que se agarrar a uma mesma ideia errada.

O político tem que ter a humildade de admitir que ele não tem todas as respostas. Mas tem que ter preparo e honestidade intelectual para fazer todas as perguntas. E tem uma pergunta que eu quero fazer aqui e agora. É uma pergunta que todo mundo está se fazendo nesse momento

— o que estão fazendo com goiás?

O estado precisa dar oportunidades para quem faz. E se livrar de quem tanto faz. E se livrar também de quem prometeu muito e não cumpriu. Precisamos de mais espaço para os que empreendem, para os que trabalham.

Por incrível que pareça não estão fazendo isso em goiás. Prometeram. Mas não fizeram. Nos enganaram. Brincaram com o povo goiano. Isso não podemos aceitar.

Cabe ao estado cuidar direito de quem mais precisa. Este estado é rico. A riqueza está na terra. Mas a riqueza da terra tem que chegar a todos. E riqueza… Riqueza é ter acesso à saúde. Mas não adianta construir um hospital e esquecer dos médicos. Cuidar da segurança é muito mais do que comprar viatura. Cuidar da educação é dar apoio e condições de trabalho ao professor. Que é quem cuida do futuro. O goiano ama seu estado. Gosta da sua vida. Mas quer mais saúde, mais segurança. Mais educação. A boa educação! Isso é pedir muito? Não. Não é pedir muito. É apenas pedir respeito com as nossas famílias.

 

Queremos respeito com nosso dinheiro. O dinheiro dos impostos. Queremos respeito com nossas vidas.

Eu aguento tudo. Tenho 40 anos de trabalho nas costas. Tenho o couro grosso.

 

Só não aguento criança sem escola de qualidade. Doente em fila de atendimento. E a aflição das mães quando o filho sai de casa e não sabe se ele vai voltar. Vítima do crime, vítima das drogas. Isso precisa ter um basta. Com a volta do pmdb, lugar de bandido é na cadeia!

 

Goiás precisa de alguém que venha para servir ao estado. Não para usufruir do estado.

 

E que se dedique a buscar o jeito diferente de fazer. Um jeito novo, moderno, de padrão mundial para cuidar da nossa gente. Pensando grande! Sem paternalismo, mas com muita atenção ao povo. Muito cuidado.

 

Não entrei nessa jornada para ensinar nada a ninguém. Vim para servir. Para lutar. Estou aqui ao lado de grandes mestres. O mestre michel temer, que fez questão de mudar sua agenda e estar hoje aqui conosco. Nosso vice-presidente da república.

 

Michel, você tem um filhinho de 4 anos. E eu também. Temos um compromisso com as crianças do nosso goiás e desse nosso brasil. Agora vou falar aqui do nosso outro mestre. O mestre iris resende, nosso lider maior. O governador dos governadores. Se goiás tem uma cara, essa cara é a do iris. No seu tempo, goiás não tinha a buraqueira nas estradas que temos hoje. Que vergonha! Precisamos acabar com isso. O iris fez questão de abonar a minha ficha de filiação ao pmdb.

 

Eu fui buscar a ficha na casa dele. Ele olhou bem prá mim, no fundo dos meus olhos. Com confiança, mas firme. E disse:

 

“junior, estamos felizes com a sua chegada. Você é um vencedor. É de gente como você que nosso pmdb precisa. Agora. Só te peço uma coisa. Não desista. Nossos adversários jogam sujo. Você vai ter que aguentar firme.”

 

 

Eu posso garantir ao governador iris, ao meu padrinho michel e a toda a familia peemedebista que eu vou aguentar firme. Eu não desisto. Eu cumpro compromissos. Eu vim para lutar. Vim para vencer. Não tenho medo de cara feia. Lutei muito na minha vida. Todas as conquistas foram resultado de muita batalha. Muito trabalho. Contem comigo!

 

A partir de hoje sou um agente da mudança. Um militante do pmdb. Dia desses estava fazendo uma visita quando uma menina puxou minha camisa e disse: “junior, meu pai mandou te entregar isso aqui”.

 

Era um pedaço de papel, que na correria acabei colocando no bolso. Só fui abrir mais tarde. Quando cheguei em casa. Havia uma frase no papel. A frase era essa: “não há nada de errado com aqueles que não gostam de política. Só que serão governados por aqueles que gostam”. Achei linda.

Sou daqueles que gostam de política. Acredito que a política é a única maneira realmente eficiente de transformar a realidade das pessoas. De lutar pelos mais pobres. E dar oportunidades para todos.

Muita gente vai dizer que eu não sou político. Sempre fui empresário. Tenho orgulho disso. Empresário sério, que acorda cedo, dorme tarde. Trabalha direito. Aprendi isso com a minha mãe, dona flora. Ela sempre disse que quem trabalha não pode perder tempo.

Trabalhei tanto na nossa empresa que virei junior friboi. Pois é desse jeito que vou trabalhar pela nossa gente. A partir de hoje me chamem também de junior de Goiás.

Goiás também não tem tempo prá perder. Muitos de nós aqui, e eu me incluo entre eles, acreditamos que o nosso estado tinha encontrado um bom caminho. Apoiei este projeto. Infelizmente, o que era esperança virou pesadelo quando a verdade veio à tona. Corrupção. Tráfico de influência. Patrimônio não explicado. Arapongagem. Jogo do bicho. Um jeito velhaco de brincar com o dinheiro público.

Política não pode se misturar com bandidagem. Não pode ser assunto das páginas de polícia. Que decepção! Quebraram nossa confiança. Política se faz com compromisso.

Fazer coisa errada dentro de um palácio… Dentro da casa do povo… Onde a gente tem que dar o exemplo… Não pode.goiás pede respeito! Goiás pede mudança.mas parece que tem gente que não pensa assim. Basta!

Política é algo que nasce do desejo das pessoas. Um desejo coletivo. O goiano sabe o que é melhor para ele. Cabe a nós entender suas necessidades, seus problemas e correr atrás de uma solução. Conhecer problemas e buscar solução… Disso eu entendo!

Sempre acreditei na convergência, buscando amarrar as pontas, tentando reunir esforços. Brigar não leva ninguém a lugar nenhum. Goiás quer e precisa de mudança. Mas também quer e precisa de união. Os problemas estão lá fora. E precisamos nos juntar para combatê-los. O pmdb marchará unido para entrar em 2014. Forte.

Não estou preocupado com qual será o meu futuro político. Isso não tem importância agora. Mas tenho uma certeza. A certeza é que seremos vencedores. E quando o pmdb se une e se organiza, ele mobiliza. Apresentando um projeto vencedor para um povo vencedor. Muito obrigado pelo convite e pela confiança.

Michel, dona iris, raupp, meirelles. Toda familia do pmdb e nosso lider, iris resende. Goiás, pode contar comigo! Com a ajuda de vocês e a proteção de deus… Um abraço carinhoso a todos!

 

Muitíssimo obrigado.

 

Os números invisíveis da miséria humana e do abandono

A MISÉRIA HUMANA E O ABANDONO

 

A Rua é 84, o número 61, são 12 seres humanos em frangalhos, estirados na calçada, distante apenas 80 metros do Palácio do Governo. São 12 pessoas no período da  manhã, mas na verdade são dezenas na madrugada, milhares durante todos os 7 dias e noites da semana.

Para alguns são apenas números, dados ou pessoas invisíveis. Basta observar como se comportam os transeuntes da Rua 84 no centro de Goiânia, em frente da porta do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional); eles ignoram os pobres e excluídos, desconhecem as vítimas da famigerada droga e acham que aqueles seres deitados nas calçadas,  não são seus semelhantes…

Apenas 1 foto, que retrata cenas invisíveis, cenas de descasos e cenas de indiferenças, cenas tristes. Acho que no mundo globalizado não precisávamos olhar somente para os números e dados, o que o mundo precisa é que olhemos para os excluídos…