PLENÁRIA POPULAR DO CENTRO-OESTE DISCUTE MELHORIAS DO SUS

O Conselho Nacional de Saúde realiza nos dias 27 e 28 de março, em Brasília, a PLENÁRIA POPULAR DE SAÚDE DO CENTRO-OESTE, que reunirá representantes dos Conselhos Municipais, Movimentos Sociais, Sindicatos e trabalhadores saúde, dos estados da região. A plenária popular é uma preparação para a 15ª Conferência Nacional de Saúde, com o tema “Saúde Pública de Qualidade para Cuidar Bem das Pessoas: Direito do Povo Brasileiro”. A Conferência Nacional acontecerá em dezembro na Capital Federal.

Segundo a presidenta do Conselho Nacional de Saúde-CNS- Maria do Socorro de Souza, a Plenária Popular,“ busca a ampliação da mobilização social, promovendo a participação de representantes  dos movimentos sociais e populares, e incluir quem não esteja nas estruturas dos Conselhos locais. A Plenária Popular é para incluir os poucos representados nas instâncias de decisões do SUS”. Depois acontecerão as etapas municipais e estaduais da Conferência de Saúde. O Controle Social tem a função de elaborar e ampliar o Plano Nacional de Saúde-PNS, que define as políticas de saúde no Brasil.

A Plenária Popular do Centro-Oeste, que começa nesta sexta-feira, tem representação de trabalhadores do campo e cidade, dos estados de GO, MS, MT e DF, e também representantes dos diversos espaços instituídos de controle social, para a defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), que vão fortalecer as pautas relativas à efetivação do direito à saúde.

Maria do Socorro de Souza, presidente do CNS, é usuária do SUS e moradora de Valparaíso-GO. É a primeira vez que o Conselho Nacional é presidido por uma usuária. O CNS existe há mais de 78 anos, e tem uma composição de usuários, trabalhadores e gestores da saúde.

 

SERVIÇOS:

PLENÁRIA POPULAR DE SAÚDE

LOCAL – Câmara Legislativa do Distrito Federal

HORÁRIO – 9h30

Dias – 27 e 28 de março

Contato:

Luiz Henrique Parahyba

(62) 8114-0202

(61) 9928-8114

A FORÇA DA PARTICIPAÇÃO SOCIAL

 

 

Acompanhei as manifestações, os pronunciamentos dos ministros e a entrevista coletiva da Presidenta Dilma Rousseff, aí chego a conclusão que estamos ameaçados por forças reacionárias e precisamos agir com rapidez e com eficiência política para sairmos dessa maré.

Acho que a FORÇA do CONTROLE SOCIAL é maior que a desorganização das forças reacionárias; mas é preciso entender que precisamos também colocar nosso bloco na rua e nas CONFERÊNCIAS POPULARES.

De 1941 a 2014 foram realizadas 143 conferências nacionais, das quais 102 ocorreram entre 2003 e 2014, abrangendo 40 áreas setoriais em níveis municipal, regional, estadual e nacional e mobilizando cerca de oito milhões de pessoas no debate de propostas para as políticas públicas. Para o ano de 2015 estão previstas mais 15 conferências nacionais, sendo a mais importante a 15ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, e essas mobilizações tem uma estimativa de participação de mais de dois milhões de pessoas, desde as etapas municipais à nacional.  Mobilização de verdade, de discussão de propostas de responsabilizar a sociedade na experiência da democracia participativa.

Assim, deveremos fortalecer nossa prática política nas preparações das conferências e promovermos o diálogo com várias  organizações, movimentos sociais, sindicatos, movimentos populares, ONGs e entidades diversas, para uma reação em defesa da DEMOCRACIA e da PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Entendo que nós é que deveremos ir pra as ruas e mostrarmos que o BRASIL precisa avançar, mas que já temos conquistas e precisamos amplia-las, não um retrocesso como propõe alguns segmentos.

O governo precisa sintonizar o que são reclames populares e rejeitar o que representa retrocesso político. Os temas estão postos a mesa, agora vamos à luta para melhorar mais e mais o nosso BRASIL, com liberdade. O primeiro passo será a REFORMA POLÍTICA!