TRABALHADOR É ELEITO PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE

 

O pleno do Conselho Nacional de Saúde-CNS – elegeu nesta quarta-feira, 16, o farmacêutico e presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), Ronald Santos, para dirigir CNS no triênio 2015-2018. Ronald Ferreira é lutador em defesa do Sistema Único de Saúde – SUS – e nos últimos anos coordenou o movimento Saúde +10 que exige mais recursos e qualidade  para o sistema público de saúde.

Em reunião extraordinária, em Brasília,  também foram eleitos os membros da nova mesa diretora do CNS, respeitando a paridade dos segmentos de usuários, trabalhadores e gestores. A mesa diretora, que será presidida por Ronald Ferreira, ficou assim composta: Geordeci Sousa da Central Única dos Trabalhadores – CUT; Edmundo Omorê  da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia brasileira – Coiab; André Luiz de Oliveira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil; Cleoneide Pinheiro da Federação Nacional das Associação dos Celíacos do Brasil; e Francisca Rêgo Araújo, da Associação Brasileira de Ensino em Fisioterapia.

O Conselho Nacional de Saúde é um espaço  de controle social com representação e 48 membros, e nos últimos 3 anos foi dirigido por uma usuária do SUS, Maria do Socorro de Souza.

Ronald Ferreira presidente do CNS:

Ronald Santos iniciou sua trajetória em Chapecó, no oeste catarinense, cidade onde o farmacêutico ingressou no movimento estudantil secundarista. Graduou-se em Farmácia, na Universidade Federal de Santa Catarina, integrou o movimento de reconstrução do Sindicato dos Farmacêuticos de SC, ingressando, assim, no movimento sindical. Desde então, sua história profissional se entrelaça com as principais mudanças da profissão farmacêutica e da saúde brasileira das últimas décadas.

Presidiu o Sindicato dos Farmacêuticos de Santa Catarina, onde ainda é dirigente; atuou em Farmácia Comunitária, Farmácia Hospitalar e no Laboratório de Físico-química de Medicamentos do LACEN-SC. Como presidente da Fenafar, representa a categoria farmacêutica e os interesses gerais da população no Conselheiro Nacional de Saúde. Nos últimos dois anos, coordenou o Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública – Saúde+10.

Atualmente Ronald é farmacêutico concursado do Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina e assessor técnico do Conselho Regional de Farmácia de SC. Também é membro da Direção Nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB e  presidirá o CNS  no triênio 2015-2018.

Fonte do histórico: www.sindfar.org.br

 

COMUNICADORES FAZEM GREVE EM GOIÁS

 

 

Manifestação dos servidores goianos no dia 15

Os jornalistas e radialistas da Agência Brasil Central – empresa pública do Governo de Goiás –  aderiram à paralisação de 24h do Sindipublico nesta terça-feira (15/12). Na Tv Brasil Central (TBC) não houve produção do JBC 1a edição, do TBC Notícias, telejornais da emissora, além do cancelamento da gravação do Roda de Entrevista. O TBC Esportes, programa terceirizado, foi reprisado, já que não havia equipe técnica para colocá-lo no ar. Os comunicadores estão protestando principalmente contra a intenção do governo de aumentar a carga horária das categorias de 5 (jornalistas) e 6 (radialistas) horas para 8 horas. A desculpa da Secretaria da Fazenda é que não há como incluir a carga de 5h no sistema de ponto eletrônico. O que não faz sentido já que os servidores estão batendo ponto nessa carga horária há pelo menos 4 meses.

Redação sem produção. Greve Geral!

A grave é um instrumento legítimo dos trabalhadores e trabalhadoras. Todo apoio a luta dos colegas da ABC.

Outra discussão que deve entrar em pauta é o Conselho de Comunicação e programação das TV e Rádios Pública de Goiás.

 

fontes e fotos – Servidores da ABC e Sindpúblico

 

Livro sobre desaparecido receberá prêmio nacional

“O Menino que a ditadura matou” é premiado no Rio Grande do Sul

O Jornalista  goiano Renato Dias receberá no dia 10 de dezembro, o prêmio de grandes reportagens do 32º Prêmio Nacional de Jornalismo em Direitos Humanos, promovido pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos e a Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Rio Grande do Sul. Ele obteve a terceira colocação na categoria [Publicados no suporte livro]. A sua obra é ‘O Menino que a ditadura matou’, publicada em junho de 2015.

 

Renato Dias autor do livro “O menino que a ditadura matou”

Renato Dias conta a história do desaparecimento de Marcos Antônio Dias Batista, é  o quarto ano consecutivo que o repórter é contemplado no prestigiado concurso nacional.

A solenidade de entrega das premiações ocorrerá em 10 de dezembro,  quinta-feira, dia mundial dos Direitos Humanos. O ato se realizará, às 19h, na sede da OAB, em Porto Alegre [RS]. A obra do autor goiano premiado narra o desaparecimento do estudante secundarista Marcos Antônio Dias Batista, em maio de 1970. O militante integrava a Vanguarda Armada Revolucionária – Palmares [VAR-Palmares], a mesma organização clandestina de luta armada contra a ditadura civil e militar de Dilma Rousseff.