CANAVIEIROS COMEÇAM A LUTA POR REAJUSTE SALARIAL E ALIMENTAÇÃO

CANAVIEIROS COMEÇAM A LUTA POR REAJUSTE SALARIAL E ALIMENTAÇÃO

 

Começa nesta quinta-feira, 10 de maio, na sede do Sindicato da Indústria da Cana (Sifaeg) a Convenção Coletiva de Trabalho dos Canavieiros goianos; são 27 anos de luta e organização dos trabalhadores rurais da cana no estado. Neste ano os trabalhadores  vão lutar para  dar um basta a “boia-fria” e garantir alimentação de qualidade para todos 20 mil cortadores de cana do estado.

A FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA – FETAEG – irá apresentar oficialmente a proposta de piso salarial de R$ 823,17(Oitocentos e Vinte e Três Reais  e Dezessete Centavos) mensais. Hoje um cortador de cana, produz em média 12 toneladas de cana por dia; caracterizando o corte da cana como  uma atividade de exaustão e penosa. A outra reivindicação que chegará a mesa de negociação com os usineiros ,nesta quinta-feira, 10 de maio, será o fornecimento de alimentação de qualidade para todos canavieiros no estado, afirma José Maria de Lima, secretário de assalariados rurais da FETAEG.

Os canavieiros vão também discutir com os usineiros a garantia dos postos de trabalho e a qualificação profissional, pois nos últimos 3 anos, as máquinas tem tomado as vagas de trabalho no setor. O setor já  empregou cerca de 50 mil cortadores de cana em Goiás, hoje são pouco mais de 20 mil trabalhadores, informa José Maria da Fetaeg.

Ainda segundo José Maria de Lima, os trabalhadores da cana vão apresentar aos usineiros, uma lista de problemas decorrentes no campo, onde canavieiros são obrigados a jornada de trabalho acima do permitido e também a presença do “gato”-  aliciador de trabalhadores-  que cria a situação de trabalho escravo no campo.

As negociações do setor canavieiro começam nesta quinta-feira e devem durar pelo menos 10 dias de debates sobre a pauta, prevê os dirigentes sindicais.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *