BANDEIRA MISTA

VAMOS HONRAR A PARAHYBA

 

Meu nome é PARAHYBA

BANDEIRA MISTA

 

“Veritas est indivisa, et quod non est plene verum, non est semiplene verum, sed plene falsum”. (A verdade é indivisa, e o que não é totalmente verdadeiro não é meio verdadeiro, mas totalmente falso).

A versão oficial do assassinato de João Pessoa é uma fraude histórica. E só isso basta, para que a verdade seja resgatada, devendo a nossa capital voltar a ser chamada de Parayba, termos de volta também, a nossa antiga bandeira, e que deixemos de ensinar aos estudantes de nossas escolas públicas e particulares na Paraíba e no Brasil uma mentira, que além de transformar em herói e mártir um homem que não merece tais galardões, deturpa capítulo ímpar da história de nosso país.

A realidade fática, é que João Pessoa foi assassinado por ter ofendido a Sra. Anayde Beiriz, professora estadual, poetisa e namorada de João Dantas. Face a desavenças de natureza política existentes entre Pessoa e Dantas, o primeiro determinou que a polícia invadisse o escritório de advocacia do segundo, onde desta feita, foram encontradas cartas íntimas trocadas por Beiriz e Dantas.

Assim, com este trunfo em mãos e visando desmoralizar seu adversário político, João Pessoa ordena que estas cartas sejam publicadas com destaque no jornal A União, pertencente ao governo do estado, causando um enorme escândalo em nossa capital, como de resto, em todo o estado da Paraíba.

Com intuito de limpar sua honra e de sua namorada, Dantas acaba por assassinar Pessoa na cidade do Recife nos moldes que informa a história contemporânea pátria. Portanto, a morte de João Pessoa foi um crime passional, transformado posteriormente, em crime político.

O inesperado assassinato de João Pessoa, presidente da Paraíba e candidato derrotado à vice-presidência na chapa da Aliança Liberal, estimulou as adesões e acelerou os preparativos para a deflagração da revolução de 1930.

Alçado à condição de mártir da revolução, o corpo de João Pessoa foi enterrado no Rio de Janeiro e seus funerais provocaram grande comoção popular, levando setores do Exército antes reticentes a apoiar a causa revolucionária.

Após a morte de João Pessoa, a comoção foi enorme, e o desejo de vingança também. Na Paraíba, diversos opositores foram simplesmente mortos, sem qualquer comiseração – uma barbárie.
.
Mudamos a bandeira do estado – bandeira esta, diga-se de passagem, horrível, de um extremo mau gosto, rubro negra, que representa sangue e luto – bem como, o nome da capital, fazendo de João Pessoa um mártir, um herói nacional que “morreu” pela revolução.

Temos que esclarecer esta página da história da Paraíba e do Brasil. Na verdade, tanto João Pessoa, como o NEGO não representam os valores do povo Paraibano.

 

TEXTO PUBLICADO POR LUIZ GONZAGA DA SILVA JÚNIOR, advogado.

 

BANDEIRA PARAHYBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *