FERNANDA BENVENUTTY MORRE AOS 57 ANOS E DEIXA UM LEGADO EM DEFESA DO SUS E DAS MINORIAS

 

“Tua voz permanecerá ecoando em nossa lutas pelo direitos humanos”

Rede Lai Lai Apejo – Saúde da População Negra e Aids.

Sepultamento será nesta segunda-feira 03 de fevereiro.


FERNANDA BENVENUTTY

Sr. Ernani Benvindo da Silva, pai de Fernanda.

Sr. Ernani Benvindo da Silva, pai de Fernanda, durante o velório.

 

A Parahyba e o Brasil perdem  uma das maiores militantes LGBT e lutadora do Sistema Único de Saúde – SUS: Fernanda Benvenutty; ela lutava contra um câncer no fígado e faleceu neste domingo, 02, em casa, no Bairro do Roger na capital paraibana.

Fernanda Benvenutty era da região do brejo paraibano, natural de Remígio,  e tinha atuação profissional na capital da Parahyba.  Ela foi Conselheira Nacional de Saúde e era militante carnavalesca ,  profissional de saúde em João Pessoa, atuando como enfermeira. O velório de Fernanda acontece  no Ginásio O Guarani, no Baixo Roger – bairro onde ela residia, o sepultamento será segunda-feira, 03, às 15h no cemitério Santa Catarina no Bairro dos Estados.

“Lembrarei dela como ser gracioso de ousadia e irreverência, cheia de alegria , guiada pela vontade de viver e transformar o mundo”, disse  Maria do Socorro de Souza, pesquisadora da Fiocruz Brasília e ex-presidente do Conselho Nacional de Saúde. Muitas notas e manifestações de pesar pela morte de Fernanda, aparecem nas redes e em atos de grupos por todo Brasil.  “Fernanda você será sempre lembrada por sua luta por seus direitos, descanse em paz” manifestou Simone Maria Leite Batista, da ANEPS- Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular em Saúde.

FERNANDA COM MINISTRO

Fernanda nas comemorações dos 25 anos do SUS com o então Ministro Alexandre Padilha

 

Outra manifestação foi do Movimento Popular de Saúde – MOPS da Parahyba – “Viver não é passar o tempo, a vida é um momento único dado por Deus para a produção de bens na vida de outras pessoas. Fernanda cumpriu a missão que lhe foi confiada no momento certo da sua vida”, disse Vandinei Viegas. Na Espanha, em Valença, a doutoranda Damiana Neto, da Ação de Mulheres pela Equidade – AME – Brasilia-Brasil,  expressa: “Conheci Fernanda no Antigo Departamento de IST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, local onde trabalhei até o início do ano 2019”. Fernanda foi uma dessas pessoas que eu encontrei nesta caminhada profissional e nos poucos momentos em que nos encontramos em razão das pautas ,  eu pude perceber que luta poderia contribuir com a transformação social , muito além do “nome social”.

“Fernanda Benvenutty uma figura ímpar  na luta por um Brasil melhor. Uma liderança muito além do identitarismo LGBTT! Sua luta era e seguirá sendo por democracia, direitos e justiça. Fernanda queria um país justo e democrático com saúde para todos com respeito e dignidade para LGBTT. Tive a honra de conviver na luta e na amizade. Foi imprescindível na formulação da política LGBTT . Emprestou sua cara para a campanha por adoção do nome social nos serviços de saúde! Fernanda corajosa e valente se foi deixando seus rastros. Entre os que ainda ficamos do lado de cá eu prometo reverencia la com garra, luta e alegria! Salve Fernanda, vc está nos nossos corações!” Foi a homenagem da Professora Ana Maria Costa – ABRASCO.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO PARA HOMENAGEAR FERNANDA:

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *